Picture of Carla & Leonel

Carla & Leonel

Aldeia Histórica – Trancoso

Visitar Trancoso é reviver a História de Portugal, Terra de fronteira e palco de diversas batalhas marcantes para a formação e independência do reino.
D. Afonso Henriques atribuiu-lhe a carta de foral e D. Afonso III a carta da feira, D. Dinis mandou erguer as muralhas que protegeram o burgo, no qual viveram cristãos e judeus. D. Dinis elegeu também Trancoso para as bodas do seu casamento com D. Isabel em 1282.
 
Trancoso
 
A vila foi, igualmente, berço de uma das maiores comunidades judaicas das Beiras e está associada a notáveis figuras históricas e lendárias.
Trancoso localiza-se no distrito da Guarda, num planalto no qual o ponto mais alto tem 898m de altitude, impondo-se na paisagem raiana e acolhendo os visitantes num cenário medieval que nos transporta para o passado.
 
 

Para Ver

Castelo 

Localizado no topo de um planalto, a partir do qual se avista um vasto território entre a Serra da Estrela e o vale do Douro, Trancoso despontou à sombra do seu castelo, fundado nos séculos VIII – IX, assumindo-se como uma das mais importantes fortificações da região.


O castelo conserva ainda a Torre de Menagem, sendo um dos ex-libris da arquitetura militar portuguesa, e cinco torreões retangulares dispostos ao longo de uma cerca. No interior do recinto existe um poço cisterna e na muralha nascente é possível observar as ruínas de uma antiga capela do século XVI. Em 1921 foi classificado como Monumento Nacional.

 

Cruzeiro do Castelo

 

Muralhas

Do século XII, a cerca amuralhada hoje existente é o resultado da ampliação efetuada pelos reis D. Afonso III e/ou D. Dinis (1248-1325). No reinado de D. Fernando, foi amplamente reformada com a construção de muros e torres e, ao longo dos séculos, foi alvo de reparações mais ou menos avultadas, sendo, por isso, difícil atribuir uma data precisa aos vários elementos que a constituem.

Assim, o antigo núcleo urbano de Trancoso está ainda hoje delimitado, em quase toda a sua extensão, pela imponente cintura de muralhas medieval. Para além de algumas das torres, conservam-se, também, três das quatro portas principais (Portas d’El Rei, Portas do Prado e Porta do Carvalho), assim como as duas portas secundárias (Porta da Traição e Olhinho do Sol) e um postigo (Boeirinho).

As Portas d’El Rei e as Portas do Prado são as mais imponentes, estando enquadradas por duas robustas torres, e a Porta do Carvalho é encimada por uma figura escultórica que muitos consideram ser o lendário cavaleiro João Tição.

A cerca amuralhada foi classificada como Monumento Nacional em 1921.

 
 

Igreja de São Pedro

Esta igreja é  resultado da reconstrução efetuada no século XVIII, apesar de ter sido fundada na Idade Média. De arquitetura tardo-barroca, apresenta uma planta longitudinal de nave única e capela-mor, com torre sineira. Na frontaria existe um brasão com atributos a São Pedro. No interior encontra-se o mausoléu seiscentista do famoso profeta Gonçalo Annes de Bandarra, que lá foi sepultado em 1545.

 

Pelourinho

Mandado construir por D. Manuel I (1510), corresponde a um pelourinho de gaiola coroada com uma esfera armilar, sobrepujada por uma cruz, e assente sobre uma coluna oitavada de capitel octogonal. Foi símbolo da autoridade, justiça e autonomia municipais, edificado no principal espaço público da vila, isto é, no adro da igreja de S. Pedro. O Pelourinho encontra-se classificado como Monumento Nacional desde 1910.

 

Igreja da Misericórdia

 

Igreja de Santa Maria de Guimarães

 

Palácio Ducal

Datado do século XVIII, terá sido construído, na segunda metade da centúria. A sua designação como Palácio Ducal não está de todo correta pois, na realidade, foi residência de Viscondes. De arquitetura tardo-barroca, este solar é, um dos imóveis mais imponentes do Centro Histórico. Com dois pisos e planta em L, salienta-se a fachada principal, estruturada em três panos delimitados por pilastras, sendo o central rematado por um frontão curvo, a enquadrar o brasão da família dos Costa, Lopes e Tavares. 
 
 
 

Igreja Nossa Senhora da Fresta

Uma das mais antigas igrejas de Trancoso, foi fundada no Século XII e está localizada fora das muralhas.

 

Estátua de Gonçalo Annes Bandarra

Está situada em frente ao edifício dos Paços do Concelho, figura famosa de um sapateiro, poeta e profeta que viveu em Trancoso no século XVI.

 

Parque Municipal

Este parque data de 1886 e dá abrigo a cerca de 650 árvores de diferentes espécies.

 

Casa do Gato Preto

Esta casa também é conhecida como “Casa do Leão de Judá” e é um dos mais importantes símbolos judaicos em Trancoso.

 

Campo Militar da Batalha de Trancoso

Este campo está localizado a 2 km do Centro Histórico, junto à ermida de São Marcos, e corresponde ao espaço onde, a 29 de Maio de 1385, teve lugar a Batalha de Trancoso. Este confronto, que culminou com a vitória do exército liderado por Gonçalo Vasques Coutinho, alcaide de Trancoso, sobre o poderoso exército castelhano, constitui um dos episódios mais gloriosos e marcantes da História de Portugal, não só pela vitória alcançada, mas também pelo significado militar, político e simbólico que a mesma adquiriu no contexto da afirmação da Independência do Reino.

 

A Não Perder

Iguaria Regional – Sardinhas Doces de Trancoso

 

Festas em Trancoso

Feira de S. Bartolomeu: Agosto
Feira de Sta. Luzia: Dezembro
Feira do Fumeiro: Fevereiro/ Março

Share this post

Sobre

Olá, somos a Carla, o Leonel, a Sofia, a Francisca, e adorámos partir à descoberta do mundo juntos!

Aqui, partilhámos os vários destinos que já visitamos, os hotéis onde ficamos hospedados e os restaurantes que experimentámos. Queremos inspirar quem nos visita, a viajar e a experimentar, pois consideramos que a vida é uma soma de experiências e uma constante procura. Nesta procura, buscamos locais, espaços, gastronomia, cultura, pessoas e, acima de tudo, a felicidade que é poder conhecer, valorizar e preservar o mundo maravilhoso que temos.

Artigos Recentes

Like Us on Facebook

Follow us on Instagram