Carla & Leonel

Carla & Leonel

Amesterdão – Holanda – O Que Visitar

 

#Continuandoàprocura de cidades europeias, não contando com grandes monumentos, Amesterdão é uma das cidades mais bonitas e animadas da Europa, tem um turismo muito jovem, uma vida noturna intensa e está na vanguarda da Europa no que se refere a espetáculos, arte e museus. Entre os principais museus da cidade estão grandes expoentes, como o Rijksmuseum, o Museu Van Gogh ou a Casa de Anne Frank.

Para além disto, a beleza da cidade está também nos seus imensos canais cercados de bicicletas, uma cidade diferente de todas que já vimos, conhecida como a “Veneza do norte”, devido aos mais de cem canais e 1500 pontes, é pois um destino muito completo. Muito perceptível aos olhos de quem visita esta cidade é o elevado civismo e tolerância dos holandeses e a imensa segurança que a cidade oferece.

Amesterdão está pensada para os visitantes, com placas de informação por todo o lado, recebe anualmente cerca de 6 milhões de turistas estrangeiros e está no top 10 das cidades europeias mais procuradas.

Há inúmeros pontos de interesse na cidade e um sem número de atrações turísticas. Não nos foi possível visitar tudo, pois para além do pouco tempo que tivemos, que foram quatro dias, ainda há o fator dinheiro que condiciona muitas das visitas. Contudo, e para que este não seja um problema existem alguns cartões que facilitam este aspecto, como:

Museumkaart

Holland Pass

I Amsterdam City Card

Rembrandtkaart

ICOM

Aconselhámos ainda a compra antecipada dos ingressos para visitas as atrações turísticas, de modo a evitar as filas que algumas delas possuem. Nós comprámos todos os bilhetes pela internet, à exceção do bilhete para a casa da Anne Frank no site oficial, no Getyourguide. Um site muito simples, bem organizado e com um excelente serviço.

Para Ver

Anel dos Canais

Considerado Património da Humanidade pela Unesco em 2010, o Anel dos Canais foi construído na Idade de Ouro da Holanda em pleno século XVII, quando a Companhia Holandesa das Índias dominava o comércio no “Novo Mundo”.

Os canais estão ladeados por casas muito idênticas, mas diferentes entre si. Há muita coisa para ver e descobrir, caminhar ou pedalar por essas ruas é simplesmente fantástico. Para uma perspectiva diferente, poderão também embarcar num dos muitos cruzeiros disponíveis e percorrer os principais canais da cidade: Singel, Herengracht (Cavalheiro), Keisergracht (Imperador), Prinsengracht (Príncipe), um excelente passeio para ficarem a conhecer outro dos cartões-de-visita desta cidade, as casas Barco, algumas delas fantásticas casas modernas.

O Anel dos canais é a ainda a zona onde podem observar as casas flutuantes, e visitar o famoso e conhecido mercado das flores, o Bloemenmarkt, com as suas bancas coloridas e cobertas dos mais variados tipos de flores, para além das típicas tulipas.

          

Praça Dam

Na praça Dam estão localizados o National Monument, a Nieuwe Kerk (igreja nova), o Koninklijk Paleis (Palácio Real) e o conhecido museu da cera de Madame Tussauds.

A praça Dam é o coração de Amesterdão, é um local conhecido como um lugar de grandes manifestações populares, onde na Segunda Guerra Mundial, muitos soldados alemães mataram várias pessoas inocentes que lá se encontravam durante um tiroteio. Já foi também o mercado central da cidade, onde todo tipo de mercadorias era comercializado.

 

Praça Leidseplein

Esta praça no centro de Amesterdão é um dos locais mais movimentados e populares da cidade, na qual estão localizados importantes teatros, lojas, casinos, restaurantes, discotecas, bares, cinemas, coffeshops e muitos outros pontos de interesse. Um dos mais comentados são os artistas de rua, cujas performances podem ser vistas quase permanentemente na zona este da praça.

Bairro De Pijp

É chamado de “Quartier Latin” devido à mistura de gente que, historicamente, ali tem habitado. Criado no século XIX, como uma favela para trabalhadores fabris que chegavam a Amesterdão à procura de melhores condições de vida, foi também sendo povoado por estudantes, escritores e artistas devido ao alojamento barato. Nos anos 60 e 70 o bairro foi renovado e passou a ser ocupado por emigrantes. Atualmente possui uma mistura interessante de gente, com muitos jovens e uma classe mais alta a renovar casas e a ocupar o bairro. Tem muitos cafés e restaurantes, lojas alternativas, galerias e ateliers de trabalhos manuais.

Bairro Jordaan

O bairro foi construído para abrigar os trabalhadores envolvidos na expansão da cidade através do sistema de canais, no século XVII. Os seus habitantes eram conhecidos pela defesa acérrima de políticas de esquerda extremistas, um forte sentido de comunidade e uma grande propensão para a bebida e festas. Durante séculos permaneceu como o bairro da classe trabalhadora, até que nos anos 60 e 70 do século passado foi ocupado por artistas, estudantes e profissionais liberais.

gentrificação dessa época permitiu a recuperação de muitas casas que estavam já ao abandono e transformou o bairro no que é hoje: uma mistura de Jordaneers tradicionais, com os valores de comunidade e de bairro marcados, jovens profissionais liberais, expatriados e famílias. Possui muitas café, restaurantes e lojas muito peculiares, como lojas de vinis que também são mercearias, cabeleireiros que também são cafés, sapateiros, lojas com manequins antigos desmembrados, e tantas outras. Há bancos em frente às casas onde os vizinhos se sentam a conversar e respirando-se uma tranquilidade diferente do resto da cidade.

As Nove Ruas

Lojas, restaurantes e excelentes exemplos de arquitetura estão disponíveis ao longo das nove ruas junto a canais, que se localizam no Bairro Jordaan, muito vezes descrito como o bairro mais cool de Amesterdão.

Begijnhof (gratuito)

Trata-se de um amplo pátio que foi o santuário da irmandade católica de Begijntjes estrategicamente escondido esconde por trás da Praça Spui. Este pátio revela algumas surpresas como a casa de madeira mais antiga da cidade (nº34), uma parede que reúne uma impressionante coleção de placas com motivos religiosos e uma igreja católica clandestina. Por todo o pátio respira-se uma sensação calma e tranquilidade, um espaço um pouco escondido, mas muito bonito em pleno centro da cidade.

Red Light Distrit (Bairro Vermelho)

Trata-se do mais famoso “bairro” de Amesterdão, no qual se expõe sem pudores nem falsas modéstias, a mais velha profissão do mundo. Nasceu no século XV  numa tentativa de organizar a profissão e de manter “as meninas” confinadas a um único ponto da cidade e atualmente é uma das zonas mais concorridas e populares da cidade.

Apesar da cidade ter três desses distritos, o De Wallen, no centro, é o maior e mais conhecido. Vários são os clubes de sexo e prostitutas colocadas às janelas das casas e há ainda dois museus no bairro: o Museu da Prostituição e o Museu do Sexo, abertos até meia-noite no verão.

Tomem muito cuidado enquanto estiver andando pelas ruas, coloque sua mochila para frente, e não tirem fotografias das meninas ou de qualquer coisa.

          

Créditos: amsterdamredlightdistricttour.com

Central Station (gratuito)

Um dos melhores sítios para começar uma visita a Amesterdão. O imponente edifício, construído entre 1881 e 1889, pelo arquiteto Pierre J.H. Cuypers, que também construiu o Rijksmuseum em 1885, que lembra fortemente à Amsterdam Centraal, é a principal estação ferroviária da cidade, albergando também uma das principais sedes do Turismo local, e ponto de partida para os ferrys, autocarros, Metro, barcos para os tours pelos canais, etc.

Palácio Real (Koninklijk Paleis)

Localizado na praça Dam, este edifício de 350 anos foi construído no século XVII, durante a Idade de Ouro Holandesa, tendo funcionado originalmente como a Câmara Municipal da cidade, foi construído em solo pantanoso, sendo suportado por mais de 13.600 pilares de madeira. Atualmente é um dos três palácios do país que ainda são usados pela Família Real Holandesa e, não sendo a residência oficial da Rainha Beatriz e do Rei Willem-Alexander, ocasionalmente estes recebem aí visitantes importantes.

Tanto por fora como por dentro, este belíssimo edifício demonstra a grande riqueza e a importância global da cidade no século XVII, quando construído era o maior edifício secular do mundo.

Os seus interiores brilham, especialmente o trabalho em mármore que contam a história da influência colonial holandesa durante o século XVII, num piso embutido com mapas do mundo na grande burgerzaal (salão dos cidadãos) no coração do edifício. Podem fazer uma visita por áudio gratuita, onde será explicado tudo aquilo que vê em detalhes realísticos. Visitem o local onde são realizados os banquetes de Estado, assim como os aposentos onde os chefes de Estado ficam hospedados. Admirem as pinturas de alguns dos artistas mais famosos do Século de Ouro dos Países Baixos e maravilhem-se com a decoração bem preservada, no que diz respeito a móveis, lustres e relógios da época de Napoleão

Horário: 10h às 17h

Preço: 10€

National Monument – Obelisco (gratuito)

Localizado na praça Dam, o Obelisco é dedicado às vítimas da Segunda Guerra Mundial para comemorar as coisas horríveis que aconteceram durante essa época. Foi projetado por J.J.P. Oud e John Radecker (que morreram antes da revelação oficial do monumento e seus filhos assumiram seu trabalho para terminar a tempo). Todos os anos, no dia 4 de maio, as pessoas deslocam-se até aqui para lembrar as perdas que sofreram como nação. Trata-se de um pilar de 22 m de altura e várias esculturas, representando a resistência, lealdade, sofrimento holandeses, mas também vitória e paz. Também contém 7 urnas dos terrenos de execução da Segunda Guerra Mundial e cemitérios.

Casa de Anne Frank

A Casa Anne Frank está situada no canal Prinsengracht, no centro de Amesterdão. Conheça a história  de Anne Frank,  uma rapariga judia que, durante a Segunda Guerra Mundial, teve que se esconder para se escapar dos nazis, cujo diário se transformou num símbolo intemporal dos horrores do Holocausto. Depois de sua morte, Anne torna-se famosa no mundo inteiro por causa do diário que escreveu quando ainda estava escondida.

Aqui pode visitar a casa e o anexo secreto onde Anne Frank e a sua família se esconderam dois anos durante o holocausto, é uma experiência muito emocionante.

Horário: 1 de novembro a 1 de abril de 2018:

Segunda-feira – Sexta-feira das 10h às 20h

Sábado das 9h às 22h

Domingo das 9h às 19h

               1 de abril a 1 de novembro:

Diariamente 9h a 22h

Preço: Adultos 9€
Idade 10-17: 4,5€
Idade 0-9: grátis
             A partir de 1 de maio: 10€ e 5€

Museu Rijks

É considerado o maior museu da Holanda e a sua popularidade internacional deve-se às áreas do espaço em si, enorme por sinal, e também às magníficas e interessantes exposições, publicações e decoração. São 800 anos de arte e história holandesa através de 8.000 objetos e 80 galerias.

Aqui é possível admirar as mundialmente famosas obras primas de artistas como Vermeer, Rembrandt, Frans Hals e Jan Steen na Galeria de Honra (Eregalerij), o mais importante quadro da Holanda e uma das mais famosas obras de arte a nível mundial, a “Ronda da Noite”, de Rembrandt.

Localizado na Museumplein, o Rijksmuseum é dedicado à história de artes. É composto por uma vasta colecção de pinturas da idade do ouro holandesa, entre os quais “A Leiteira”, uma cena doméstica quotidiana pintada por Vermeer, e também com uma enorme coleção de arte asiática.

Horário: Todos os dias das 9h às 17h

Preço: Adulto 17,50€

Idade até 19 anos: gratuito

          

          

Museu Van Gogh

Este museu alberga a maior e mais importante coleção de quadros do famoso pintor, Vicent Van Gogh (1853-1890), um dos artistas holandeses mais famosos de todos os tempos. São mais de 200 pinturas, 500 desenhos e 750 cartas do mestre holandês.

Durante a última década da sua vida produziu uma vasta obra de aguarelas, litografias e cartas. As suas obras são o reflexo da sua vida e das influências que foi recolhendo em diferentes ocasiões, experiências e locais por onde passou. É muito interessante ver o seu trabalho modificar, desde o início das pinturas com girassóis, amendoeiras e campos de trigo com corvos, e também uma ampla gama de exibições interativas que mostram a sua magnificência no final da sua vida. Para além destas, alberga ainda uma enorme coleção de obras de arte de outros pintores e escultures do século XIX. O museu é formado por dois edifícios. O edifício principal, projetado por Gerrit Rietveld, Joan van Dillen e J. van Tricht, foi inaugurado em 1973. O segundo edifício, projetado pelo arquiteto japonês Kisho Kurokawa foi adicionado em 1999.

Horário: Sábado a quinta das 9h às 17h

Sextas das 9h às 21h

Preço: Adultos 18€

Idade até 17 anos: gratuito

          

Madame Tussaud

É o museu que segue os padrões de todos aqueles espalhados pelo mundo, com réplicas de personalidades mundiais feitas de cera. Dentro do museu encontrará estátuas distribuídas por vários andares e, o mais interessante é que elas não estão isoladas, pelo contrário elas se misturam com as pessoas. Entre os principais bonecos de cera da localidade você poderá ver Albert Einstein, Fiona, Anne Frank, Angelina Jolie e Brad Pitt, Barack Obama e muitos outros personagens conhecidos no mundo todo.

Horário: Todos os dias das 10h às 22h

Preço: Adultos  22 €

Idade 5 a 15 anos: 18€

Se o adulto entrar depois das 15h ele paga 16€ e a criança paga 14€. Para pagar esses preços reduzidos depois das 15h é necessário fazer uma reserva online prévia.

Museu Stedelijk

Localizado na Museumplein, este museu é considerado um dos mais originais e inovadores museus do mundo, um local fantástico para os apreciadores da melhor arte e designs modernos. Foi fundado na década de 1870, é o maior museu de arte moderna e contemporânea dos séculos XX e XXI do país. As 90.000 peças consistem em pinturas, desenhos e esculturas de Vincent van Gogh, Andy Warhol, Piet Mondriaan, Gerrit Rietveld, Henri Matisse, Wassily Kandisky, Ernst Ludwig Kirchner, Jackson Pollock, Marc Chagall, Marlene Dumas, Lucio Fontana, Gilbert & George, entre outros. Seu acervo inclui também um espaço pintado por Karel Appel e uma grande colecção de pinturas de Kazimir Malevich.
De correntes como o Expressionismo, Impressionismo e Fovismo, a nomes como Warhol, Picasso, Matisse e Newman, encontram neste espaço uma oferta única quer em qualidade quer em abrangência. Explorem também a nova ala futurista do Museu Stedelijk

É conhecido como a “banheira”, por causa de um telhado em forma de banheira recentemente adicionado.

Horário: Sábado a quinta das 10h às 18h

Sexta das 10h às 22h

Preço: Adultos 17,50€

Idade até 17 anos: gratuito

Museu da história Judaica

Este museu retrata a vida e história dos judeus cuja cidade albergou desde o século XVI, quando muitos deles fugiram da inquisição na Espanha e em Portugal.

O Museu de História Judaica de Amsterdam foi fundado antes da Segunda Guerra Mundial, em 1932 e reaberto depois da guerra, em 1955.

Apenas uma pequena parte da grande coleção esta exposta: arte feitas por artistas judeus, arte religiosa judaica, objetos cerimoniais e documentos de Guerra. Vale uma visita ao museu principalmente por causa de sua grande coleção de livros, revistas, revistas judaicas, documentários e fotografias que estão expostas.

Horário: Todos os dias das 11h às 17h

Sinagoga Portuguesa

Na Sinagoga Portuguesa não há eletricidade e nem aquecimento. Existem milhares de velas para iluminá-la, tal como sempre foi feito desde o início. O chão está coberto com fina camada de areia para evitar que a humidade entre e destrua o assoalhado de madeira original do século XVII.

A Sinagoga Portuguesa foi construída em 1675 pelos chamados judeus sefarditas que vieram da Espanha e Portugal, fugidos do período da Inquisição espanhola. Por volta do ano 1700 viviam mais de 10 000 judeus em Amesterdão. Esta sinagoga já foi a maior sinagoga do mundo, possuindo uma estrutura sóbria, quase de estilo protestante, comum na época.

Horário: Todos os dias das 10h às 16h, exceto sábados. Nos feriados judaicos (Sabbat          sábados) existem serviços judaicos.

Hermitage Amesterdam

Existe uma enorme ligação entre a Rússia e os Países Baixos, assim o Museu do Hermitage, localizado no rio Amstel, perto de Waterlooplein em Amsterdam, é a maior filial do mundialmente famoso Museu Hermitage de São Petersburgo. O Amstelhof, o edifício histórico em que se encontra o Museu do Hermitage, remonta ao ano de 1681 e serviu de casa de aposentadoria para idosos até 2007. O museu foi inaugurado pela Rainha Beatrix e pelo presidente russo Dmitry Medvedev em 2009 e A sua coleção apresenta duas exposições permanentes: as relações Rússia-Holanda e a história do próprio edifício Amstelhof. O museu é também o lar de uma série de exposições temporárias, que incluíram a história de Alexandre o Grande e uma exposição da grande coleção de pinturas do museu, intitulada Matisse para Malevich.  As exposições de Blockbuster mostram obras do vasto tesouro do Hermitage, enquanto a Galeria de Retrato da Era de Ouro tem retratos de grupos formais da lista “A Holandesa” do século XVII.

Horário: Todos os dias das 10h às 17h

Preço: Adultos 23€

Idade até 11 anos: gratuito

Biblioteca Pública de Amesterdão (gratuito)

Localizada em Oosterdokskade e apesar de não se encontrar nos roteiros convencionais, esta biblioteca é considerada uma visita essencial quer pelas linhas modernas e abstratas do edifício envidraçado que vão impressionar os amantes de engenharia e arquitetura, quer pelo espaço iluminado com uma relaxante luz natural e ainda pelos sete andares dedicados às mais variadas áreas de saber, um local recheados de livros, revistas, jornais, CDs, DVD, jogos, etc.

Horário: Todos os dias das 10h às 22h

Heineken Experience

Localizada em Stadhouderskade a Heineken, uma das três maiores produtoras de cerveja do mundo, foi fundada em Amesterdão em 1864 e conta  com diversas exposições acerca da temática.

Durante a visita fica-se a conhecer todo o processo de fabricação da bebida, um pouco da história e até degustar algumas delas. O itinerário da visita é pré-estabelecido e dura em média 2 horas.

Horário: De setembro a junho:
De segunda a quinta, das 10h30 às 19h30
De sexta a domingo, das 10h30 às 21h
Julho e agosto:
De segunda a domingo, das 10h30 às 21h

Preço: Adultos 16€
Idade 12 a 17 anos: 12,50€
Idade até 11 anos: entrada gratuita

          

          

Gassan Diamonds

Amesterdão é conhecida pelos seus diamantes há mais de 425 anos, e a Gassan Diamonds desempenha um papel importante nessa história. Foi fundada em 1945, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, por Samuel Gassan, como uma empresa especializada na importação e exportação de diamantes brutos e lapidados.

Na Gassan Diamonds, podem aprender tudo o que quiser sobre diamantes. Os guias responderão a todas as suas perguntas, em até 27 idiomas, sobre a história e a perícia dos lapidadores de diamantes de Amesterdão. Você aprenderá sobre quilates, cores, claridade e cortes, além de ver como é feito o corte do Gassan 121, o carro-chefe da empresa.

Os lapidadores de diamantes da Gassan trabalham há décadas para criar diamantes perfeitos e lapidados de maneira brilhante. Originalmente, esse corte tinha 57 facetas, mas, desde então, os lapidadores desenvolveram um corte exclusivo e patenteado, que não tem nada menos que 121 facetas: o Gassan 121. O maior número de facetas torna o diamante ainda mais brilhante.

A Gassan não é famosa apenas pela lapidação de diamantes, mas também por estar entre os líderes do mercado nos setores de alta joalheria e relojoaria. Aqui também encontram uma grande coleção de joias e uma impressionante Boutique da Rolex, com uma ampla gama de modelos exclusivos de marcas suíças. Além da Rolex, a Gassan também atende a outras marcas, como Jaeger-Le Coultre, IWC, Omega, Rado, Longines e Tissot. No final da visita têm direito a uma bebida quente na loja de recordações.

Horário: Todos os dias das 9h às 17h

Preço: Gratuito para os portadores do bilhete City sightseeing

          

          

Molen de Gooyer

O antigo moinho de farinha é um dos seis moinhos de vento original ainda existentes em Amesterdão. Desses seis, o De Gooyer é o que fica mais próximo do centro histórico. Foi construído em 1725 e transferido em 1814 para continuar a receber o vento, que tinha sido bloqueado por novos prédios. Atualmente divide o espaço com a Brouwerij ‘t IJ, uma cervejaria, e é considerado o mais alto moinho de vento de madeira da Holanda.

A cervejaria, embora pequena, é um ótimo lugar para fazer um lanche e tomar uma cerveja. O bar de degustação está aberto diariamente das 14h às 20h. O espaço tem também alguns pratos, como ovos cozidos, salame e queijos trapistas. As visitas guiadas à cervejaria são às sextas, sábados e domingos e inclui uma cerveja. O moinho é de propriedade da cidade e não pode ser visitado.

De Duif (gratuito)

Localizada em Prinsengracht esta impressionante igreja de 1857 surpreende pelo contraste entre o seu modesto exterior de elegantes linhas neoclássicas, frente neo-barroca, e a grandiosidade do seu interior. A igreja foi construída em 1858 e a primeira igreja católica a ser construída na Holanda que não era uma igreja escondida, tendo sido  restaurada em 1999-2002.

Westerkerk (gratuito)

Localizada em Prinsengracht, esta linda igreja construída em 1619-1631, com uma magnífica torre de 85 metros, é a mais alta da cidade e a maior igreja protestante da Holanda. No topo da torre está a coroa dos Habsburg, a igreja possui a nave mais larga do qualquer outra igreja protestante na Holanda e um imponente órgão com os painéis pintados. É aqui que estão os restos mortais de Rembrandt.

Westerkerk está aberto aos visitantes durante todo o ano. Westerkerk Tower está aberto aos visitantes de abril a outubro. Ambos – a igreja e a torre, estão fechados aos visitantes no domingo.

Todos os domingos às 10h30, existe um serviço religioso na igreja.
Westerkerk é frequentemente o local para concertos de música clássica, notável com a acústica excepcional da igreja. Às terças das 12h às 13h é possível assistir a um concerto especial, o carrilhão da torre com 42 sinos, imperdível.

          

Nieuwe Kerk (gratuito)

Localizada na praça Dam, a Nieuwe Kerk é um templo religioso do século XV e a Igreja oficial da Holanda, uma típica igreja protestante holandesa.

A igreja sofreu danos com os incêndios de 1421 e 1452 e queimou quase na sua totalidade em 1645. Foi submetida a reformas importantes entre 1892 e 1914, o que somou muitos detalhes neogóticos, e foi reformada novamente entre 1959 e 1980.

Nieuwe Kerk é o lugar de sepultamento dos heróis navais neerlandeses e o poeta e dramaturgo Joost van den Vondel. No dia 2 de fevereiro de 2002, foi o cenário do casamento de Willem-Alexander, Príncipe Herdeiro dos Países Baixos e Máxima Zorreguieta. Em 30 de abril de 2013, foi o local da investidura de Willem-Alexander como monarca do Reino dos Países Baixos.

Horário: Todos os dias das 1oh às 17h

Oude Kerk

Localizada em plena Red Light Distrit, esta é a Igreja mais antiga de Amesterdão, com cerca de 800 anos, no entanto, tem vindo a ser alterada e ampliada ao longo dos anos. Esta igreja possui um dos mais admiráveis órgãos e diversos pormenores muito interessantes, como a porta vermelha, o teto, os pilares a Capela de Nossa Senhora. O mais interessante e até curioso é o facto desta igreja conviver lado a lado, e de forma bastante harmoniosa, com o afamado Bairro da luz vermelha.

Horário: De segunda a sábado, das 10h às 18h
Domingos, das 13h às 17h30
Fechado no dia 25 de abril

Preço: Adultos 10€

Idade até 13 anos: gratuito

Basílica de S. Nicolás (gratuito)

Localizada em Prins Hendrikkade, perto da Central Station, a Igreja de S. Nicolás foi consagrada em 1887, promovida a basílica em 2012 e é o símbolo da liberalização da fé católica em Amesterdão. Foi desenhada pelo arquiteto Adrianus Bleijs (1842-1912) e combina características de dois estilos arquitetónicos: neo-renascentista e neo-barroco. No seu rosto principal, há duas torres com uma janela sob a qual Cristo e os quatro evangelistas estão representados, ao mesmo tempo, em cima dessas torres está uma estátua de São Nicolau, que é também o patrono da cidade. Para além das majestosas linhas arquitetónicas exteriores, o interior do edifício está decorado de forma ostensiva e verdadeiramente impressionante, com tetos dourados, chão em mármore branco e vermelho, vitrais e inúmeras estátuas de santos. Aos sábados, às 17h00, podem desfrutar do canto coral da Basílica.

Horário: De segunda a sábado: 12h às 15h
De terça a sexta-feira: 11h às 4h
Domingo: 10h 30 à 1h

          

A’DAM Lookout

Localizado na parte moderna da cidade, atravessando o rio, A’DAM LOOKOUT é um deck de observação com uma visão panorâmica incomparável de Amesterdão. Subir ao topo do edifício é uma experiência única, pois de lá é possível observar todo o centro histórico da cidade, o porto palpitante e os famosos canais pertencentes à lista do património mundial da UNESCO. Complementar a esta experiência é uma exposição interativa de última geração sobre a história e a cultura de Amesterdão e o ‘Over the Edge’, o maior balanço da Europa, 100 metros acima do solo, de um lado para o outro ao longo da borda da torre. Podem ainda optar por tomar uma bebida no bar ou no Rooftop, ou então jantar no restaurante Moon, com uma vista de cortar a respiração, mas para o qual convém reservar com antecedência.

Horário: Todos os dias das 10h 30 às 21h

Preço: Adultos 15€

Idade 6 aos 12 anos: 6,5€

          

Vondelpark

Um espaço verde de 47 hectares em pleno centro de Amesterdão, o parque mais popular da cidade e o lugar ideal para correr, andar de bicicleta, ou simplesmente aproveitar o sol.  O parque Vondel é uma homenagem ao poeta holandês Joost Van Den Vondel e está aberto desde 1865.

Possui vários restaurantes e no verão há teatro ao ar livre gratuito, jardim botânico, lojas para alugar skates e patins, bares e até uma estátua até do Picasso.

A ‘t Blauwe Theehuis (A Casa Azul de Chá), construída em estilo modernista funciona como um restaurante e merece uma visita.

          

        

Flower Market (Bloemenmarkt)

O mercado, único flutuante no mundo, está situado sobre uma margem do canal Singel, conta com cerca de vinte pequenas lojas flutuantes, onde se vendem não só as famosas tulipas, como todo o tipo de outras flores, bulbos, sementes e até uma grande variedade de recordações. É uma das atrações mais coloridas de Amesterdão e funciona desde 1860.

Bloemenmarkt, o famoso mercado de flores flutuante encontra-se entre as pontes de Muntplein e Koningsplein.

Horário: Segunda a sábado das 9h às 17h30

Domingo das 11h às 17h30

          

Foodhallen

Localizado em Bellamyplein, este glorioso salão internacional de comida tem uma enorme variedade de comida numa espaçosa área de refeições. No total são 20 diferentes tipos de especialidades desde grelhados, pães, queijos, doces, saladas e muito mais.

Não tive oportunidade de conhecer, e como as iguarias são muitas, deixo-vos as sugestões de uma brasileira a morar em Amesterdão:

– Os rolinhos vietnamitas do Viêt View: que sabor, que textura.

– A sanduíche indiano com pedacinhos de cordeiro do Shirkan – pão fresco e quentinho com carne assada em um tandoor, bem temperado e não muito picante.

. O hambúrguer do The Butcher: Carne de alta qualidade, bem saborosa e muito bem feita. A batatinha frita também é muito gostosa.

– A sanduíche de carne de porco do The Rough Kitchen: carne cozida lentamente, bem temperada.

– Bitterballen do De Ballenbar: bitterbal é parecido com um croquete de carne, uma bolinha frita com casquinha crocante e recheio macio, típico da cidade.

Horário: Todos os dias das 11h às 23h 30

Albert Cuyp Market

Trata-se do maior e mais variado mercado de Amesterdão, que todos os dias (exceto ao domingo) anima o bairro De Pijp, desde 1905. As 260 bancas vendem de tudo: flores, fruta, legumes, queijo, carne e peixe frescos. Podem ainda lá tomar o pequeno-almoço ou almoçar, renovar o roupeiro e redecorar a casa. É um bom sítio para provar as sandes de arenque, típicas de Amesterdão.

Para Ver – Arredores de Amesterdão

Holanda Rural – Zaanse Schans

Aproveite um  dia para fazer um passeio rural pelas casas típicas da Holanda, os moinhos de vento, fique a conhecer uma fábrica de queijo ou outra de construção de tamancos de madeira. Almoce num restaurante tradicional com os habitantes trajados a rigor.

Localizada a cerca de 22km de Amesterdão (na cidade de Zaandam), Zaanse Schans, a conhecida vila dos moinhos, reproduz as vilas holandesas dos séculos XVIII e XIX, formando uma espécie de museu a céu aberto. O local tem ao dispor diversas lojinhas de recordações, cafés, fábrica de queijos, etc.

Há duas formas de ir de Amesterdão até Zaanse Schans utilizando o transporte público, ambas partindo da Estação Central. A maneira mais barata é comboio para Uitgeest e descer na estação Zaanse Schans, num trajeto que dura cerca de 20 minutos pelo custo de 3€ e, depois mais 20 minutos até chegar à vila.

A viagem de autocarro por cerca de 5€ é a forma mais fácil, e por este motivo foi a opção que escolhemos. Partindo também da Central Station, da plataforma C, a linha que faz o trajeto é a 391 – Zaandam Zaanse Schans, cuja paragem é mesmo à entrada da vila.

Logo na entrada, está o Zaans Museum, um museu que conta a história de Zaanse Schans, da Holanda industrial e de um famoso pintor que morou em Zaandam: Claude Monet.

As casinhas verdes ao longo da vila abrigam pequenos museus temáticos (alguns pagos e outros gratuitos) e lojinhas. Algumas chamam mais atenção, como a fábrica de queijos Catharina Hoeve, a lojinha de tamancos de madeira, onde há demonstração de como os tamancos são fabricados, e o museu do Albert Heijn, a maior rede de supermercados da Holanda, que teve a sua primeira loja em Zaanse Schans.

Para além da paisagem que é lindíssima, o que realmente leva os turistas a Zaanse Schans são os moinhos, são 11 moinhos no total, estando 6 abertos para o público.

Outra forma de também conhecer a vila dos moinhos é fazer um passeio de barco, que dura cerca de 45m, pelo rio Zaan, apenas possível na primavera e no verão (de abril a setembro).

A maior parte das atrações de Zaanse Schans funcionam das 9h às 17h.

          

          

Keukenhof (Parque das Tulipas)

Localizado em Lisse a cerca de 40Km de Amesterdão, o Keukenhof, ou Jardim das Tulipas como é conhecido é um das atrações turísticas mais procuradas pelos  viajantes na Holanda. São 7 milhões de bulbos de flores plantados à mão, um a um, formando tapetes de tulipas em uma área verde de 32 hectares.

A temporada 2018 do Keukenhof começa dia 22 de Março de 2018 e vai até o dia 13 de Maio. Esse ano o parque de flores mais famoso da Holanda tem com tema o Romance.

Para ir desde Amesterdão, apanhem o autocarro 858, que sai do aeroporto Schiphol cada 15 minutos durante o dia, e leva 40 minutos para chegar a Keukenhof. Vá para Schiphol no autocarro 397 (antigo 197), que sai da Leidseplein ou da Museumplein, ou de comboio, saindo da Centraal Station.

O parque é relativamente extenso e há muito para ver por isso são necessárias cerca de 3h para ver tudo 3 horas.

O período da tarde costuma ter menos visitantes do que o período da manhã e naturalmente mais cheio em dias ensolarados ou secos.

Anualmente fazem um desfile no mês de abril com dezenas de carros alegóricos todos enfeitados com flores. O desfile tem inicio na cidade Noordwijk e termina na cidade de Haarlem, passando pelo Keukenhof ao longo do trajeto.

O parque possui boas infra estruturas para os visitantes, com restaurantes e quiosques. Outra opção é levar o seu próprio lanche.

O parque disponibiliza acesso para os pessoas com mobilidade condicionada, assim como instalações sanitárias apropriadas.
Disponibiliza também cadeiras de rodas gratuitamente. Só é permitido entrar no parque a pé, com exceção para as cadeiras de rodas, ou carrinhos de bebé.

Os cães são permitidos no Keukenhof, desde que sejam mantidos na coleira, no entanto, eles não são permitidos para entrar nos pavilhões e restaurantes, exceto para os cães-guia.

Podem guardar a bagagem no parque pois existem armários gratuitos disponíveis na entrada principal do parque.

Existem duas opções de passeios:

  • Barco elétrico: o passeio dura aproximadamente 45 minutos, e custa 8€ para adultos, 4€ para crianças de 4 a 11 anos. Os barcos saem próximo ao moinho de vento. As filam tendem a ser longas e os ingressos esgotam rapidamente.
  • Bicicleta: é possível alugar bicicletas no estacionamento perto da entrada principal do parque que possui 4 rotas diferentes, variando de 5 a 25Km com um custo de 10€.

Horário: Os portões abrem diariamente as 8h e fecham às 19h30

Preço:

Adultos 17€

Idade 4 a 17 anos: 8€

Crianças até 3 anos: gratuito

Pode adquirir seus ingressos diretamente na bilheteria do parque, mas com filas longas. O melhor mesmo é adquirir o bilhete através do site.

Quem comprar pelo site pode optar ainda por um Combi-ticket, um ingresso combinado com passe para transportes, que inclui o trajeto de ida e volta entre Amesterdão e o Keunkenhof: o autocarro 397 (antigo 197) entre Amesterdão e o aeroporto Schiphol, e o autocarro 858 entre Schiphol e Keukenhof, nos dois sentidos. Em 2018, custa 29,50€ para adultos, e 12,50€para crianças entre 4 e 11 anos.

Créditos: Holland.com

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Sobre

Olá, somos a Carla, o Leonel, a Sofia, a Francisca, e adorámos partir à descoberta do mundo juntos!

Aqui, partilhámos os vários destinos que já visitamos, os hotéis onde ficamos hospedados e os restaurantes que experimentámos. Queremos inspirar quem nos visita, a viajar e a experimentar, pois consideramos que a vida é uma soma de experiências e uma constante procura. Nesta procura, buscamos locais, espaços, gastronomia, cultura, pessoas e, acima de tudo, a felicidade que é poder conhecer, valorizar e preservar o mundo maravilhoso que temos.

Artigos Recentes

Like Me on Facebook

Follow me on Instagram