Carla Ferreira

Carla Ferreira

Cidade de Guimarães – Braga

 

#Continuandoàprocura das cidades de Portugal, estivemos na designada “Cidade Berço”, ou seja, cidade de Guimarães uma cidade histórica belíssima. Esta designação advém do facto de aí ter sido estabelecido o centro administrativo do Condado Portucalense por D. Henrique e seu filho D. Afonso Henriques e pela importância que a Batalha de São Mamede teve para esta cidade no ano de 1128.

Guimarães localiza-se na região Norte do país, concretamente no distrito de Braga, com uma população de 50 097 habitantes. A cidade teve um papel muito importante na formação de Portugal, contando já com mais de um milénio desde a sua formação, cujo centro histórico é considerado Património Cultural da Humanidade pela UNESCO desde 2012, pelos monumentos e ruas que respiram história, de uma beleza incrível.

Guimarães orgulha-se também da sua gastronomia, como a lampreia, o bacalhau, os rojões, a cabidela, entre muitos outros. Outra especialidade gastronómica é a “cozinha de casal” que inclui iguarias tradicionais como caldo-verde, as sardinhas, os petiscos e as carnes de porco. Na doçaria há a destacar a torta de Guimarães e o Toucinho do Céu.

O dia, embora frio, estava magnífico, então começamos a nossa visita pelo Paço dos Duques, deixando o centro histórico para a hora do almoço, por causa da proximidade dos restaurantes e a subida à Penha para o fim do dia, com o intuito de observar um maravilhoso por do sol do alto do monte. Como gostamos de percorrer os centros históricos e descobris ruas, praças e largos. Guimarães não é exceção e posso dizer que uma das praças, o Largo da Oliveira, é com certeza uma das mais bonitas que já conheci.

 

Para Ver

 

Paço dos Duques

O Paço dos Duques foi mandado construir por Dom Afonso, primeiro duque de Bragança, no século XV, como presente para a sua amada e possui estilo borgonhês, devido ao gosto adquirido em suas viagens pela Europa. Foi convertido em quartel no século XIX e reabilitado no século XX para funcionar como Museu albergando grande espólio dos séculos XVII e XVIII.

Atualmente o segundo andar serve também de residência oficial do Presidente da República Portuguesa aquando das deslocações ao Norte do país.

Entrada: 5 €

Horários: Todos os dias das 9.30 h às 18 h. Encerra a 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1º de maio e 25 de dezembro.

          

          

          

 

Estátua de D. Afonso Henriques

Localizada junto ao Paço dos Duques, um local para uma fotografia.

 

Castelo de Guimarães

Em meados do século X a Condessa Mumadona Dias, mandou construir um Mosteiro. Com os constantes ataques por parte dos mouros, decidiu construir uma fortaleza para proteger os monges e a comunidade cristã que viviam em seu redor. Surge assim o primitivo Castelo de Guimarães.

No século XII, o Conde D. Henrique e Dona Teresa vieram viver para o Castelo de Guimarães e provavelmente aí terá nascido D. Afonso Henriques. Perdida a sua função defensiva, o Castelo entra num processo de abandono e degradação progressiva até ao século XX, altura em que é declarado Monumento Nacional e são efetuadas obras de restauro.

Entrada gratuita (1,5 € para aceder à Torre de Menagem)

Horários: Todos os dias das 9.30 h às 18 h. Encerra a 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1º de maio e 25 de dezembro.

          

 

Capela de São Miguel do Castelo

Reza a lenda que foi nesta capela que foi baptizado D. Afonso Henriques, local onde ainda se guarda a pretensa pia baptismal utilizada na cerimónia. Foi classificada como Monumento Nacional em 1910.

Entrada gratuita

Horários: Todos os dias das 9.30 h às 18 h. Encerra a 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1º de maio e 25 de dezembro.

 

Rua de Santa Maria

Datada do século XII, esta foi uma das primeiras ruas abertas em Guimarães servindo de elo de ligação entre o Convento de Santa Clara (atual Câmara Municipal) e o castelo.

Ao longo do percurso é possível observar vários testemunhos arquitetónicos do  passado: a Casa do Arco (nº28), a Casa dos Peixoto (nº39), a Casa Gótica dos Valadares de Carvalho (nº9), a Casa dos Carneiro que hoje alberga a Biblioteca Municipal Raul Brandão (nº58) e outros característicos desta cidade.

 

Praça de Santiago

Nesta praça estava situada uma pequena capela do século XVII dedicada a Santiago que foi demolida em finais do século XIX, atualmente é um local simpático e muito agradável em qualquer momento do dia para passear e desfrutar das várias esplanadas. De noite é muito movimentada devido à diversão proporcionada pelos estabelecimentos, sendo um dos principais locais de encontro e convívio entre os habitantes e visitantes.

 

Largo da Oliveira

Como já o disse, este é um dos largos mais bonitos que já conheci. Neste belíssimo largo está edificada a igreja de Nossa Senhora da Oliveira concluída em 1387, o Padrão do Salado, monumento histórico e único no país pela sua forma e pela sua arquitetura. Segundo a tradição, relembra a vitória de Dom Afonso IV sobre os mouros, em 1340, na batalha do Salado.

Destaca-se também a Domus Municipalis, um imponente monumento que foi paço do Concelho nos finais do século XIV, com o seu alpendre sustentado em cinco arcos góticos, as cinco janelas de sacada e uma estátua na fachada do edifício que representa Guimarães.

          

          

 

Largo do Toural

Este largo é ladeado pelas fachadas pombalinas e nele destaca-se a torre da antiga muralha, sendo considerado “a sala de visitas” da cidade.

           

 

Capela de São Francisco

Datada do século XV, no exterior são visíveis traços góticos e românicos. No interior destaca-se a talha dourada, a azulejaria tradicional e alguns frescos e pinturas.

 

Museu Alberto Sampaio

Este museu alberga importantes coleções de arte sacra, azulejaria, prataria e esculturas do período medieval e renascentista até ao século XVIII.

          

 

Igreja Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos

Antigamente era uma pequena ermida, que era dedicada à Nossa Senhora da Consolação, mandada construir em 1576, tendo sido concluída em 1785, um exemplar da arte barroca de Guimarães. Mais tarde, foi construída a Capela do Senhor dos Passos, anexa à igreja e a Casa do Despacho. Em 1993, foi declarada imóvel de interesse público.

 

Monte da Penha

O Monte da Penha é o ponto mais elevado de Guimarães, local que oferece uma vista magnífica sobre a cidade e arredores. No topo, está localizada uma estátua do Papa Pio IX.

O Monte da Penha possui parque de campismo, um campo de mini-golfe, um mini-trem turístico, um centro equestre, áreas de passeio, piquenique, monumentos, grutas e miradouros.

Pode aceder ao Monte da Penha, pode-se ir de carro, que fica a 6 km do centro histórico, ou pode-se ir de teleférico. Recomendo este último, por ser diferente e pela contemplação da paisagem, numa distância de 1.700 metros e altura de 400 metros.

Preço de ida/volta de teleférico: 4,40 €

Horários: Todos os dias das 10 h às 17h 30 (novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março), das 10 h às 18h 30 (abril, maio e outubro), das 10 h às 19 h (junho, julho e setembro) e das 10 h às 20 h (agosto).

          

 

Citânia de Briteiros

Um pouco afastada da cidade, a cerca de 15Km na freguesia de Salvador de Briteiros, a Citânia de Briteiros, é um conjunto de impressionantes ruínas de um povoado habitado na Proto-história, há mais de 2000 anos, numa época conhecida pelos arqueólogos como Idade do Ferro. É um dos mais expressivos povoados proto-históricos da Península Ibérica, quer pela dimensão, quer pela monumentalidade das suas muralhas, urbanismo e arquitetura.

Entrada: 3 €

Horários: Todos os dias das 9 h às 18 h (verão) e das 9 h às 17 (inverno)

POST COMPLETO SOBRE A CITÂNIA DE BRITEIROS

 

Para Ficar e Para Comer

Guimarães disponibiliza um leque muito variado de alojamentos e restaurantes. Durante a minha estadia escolhi um hotel muito simpático e agradável, o hotel Toural, um espaço 4 estrelas localizado por detrás do Largo do Toural. Com quartos muito acolhedores, um pequeno almoço excepcional servido na hora e na mesa, e com uma localização excelente, é um espaço fantástico que recomendo.

Para as refeições optámos por um local que ofereceu saborosos pratos de comida regional e não só, o restaurante “Café Oriental”. Com uma boa relação preço qualidade, um espaço muito bonito localizado no Largo do Toural.

          

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Sobre

Olá, o meu nome é Carla Ferreira. Vivo em Viseu com a minha família, o marido Leonel e as filhas Sofia e Francisca.

Somos apaixonados pelo mundo, pela Natureza, pelas pessoas, culturas e tradições. Somos inquietos, sempre com uma vontade enorme de explorar mais e mais, de estar constantemente à procura. Privilegiamos muito o conhecimento, a valorização, a preservação e a sustentabilidade do planeta Terra. 

Explorar o mundo e partilhá-lo com as pessoas são das coisas que mais gostamos de fazer.

Artigos Recentes

Like Me on Facebook

Follow me on Instagram