Carla & Leonel

Carla & Leonel

Locais Imperdíveis em Veneza

Veneza são 117 pequenas ilhas separadas por canais e ligadas por 434 pontes, uma cidade única, marcada por diferentes estilos arquitetónicos, não existe outra igual no mundo, daí ser tão singular.

Para nós, chegar a Veneza foi surpreendente. Sabíamos que era uma cidade lindíssima, mas estar ali é algo mais, é encantador. A cidade é atraente, charmosa, romântica, é mágica!

Veneza é a capital da região de Veneto e o seu nome deriva do antigo povo que aqui habitava: os Veneti. Foi uma grande potência marítima durante a Renascença, tendo sido, também, um grande centro comercial, especialmente de produtos como a seda, a fibra e as especiarias.  É hoje conhecida como a Cidade Flutuante ou ainda a Sereníssima. A única praça ou Piazza de Veneza é a Praça São Marco, as outras pequenas praças são chamadas Campo. Está dividida em duas partes pelo Grande Canal, e cada uma dessas partes está dividida em três bairros, num total de seis bairros principais: CannaregioSan Marco, Castello,  Santa CroceSan Polo e Dorsoduro.

 

Basílica de San Marco

Esta é a igreja mais conhecida de Veneza. Foi construída no século IX para guardar o corpo de San Marco, um dos quatro evangelistas, e foi decorada com ornamentos bizantinos trazidos para a cidade após a queda de Constantinopla. A decoração reflete a história da cidade que já foi a principal ligação entre o Ocidente o Oriente. No interior o destaque vai para o grande altar de ouro do século XII, o Pala d’Oro, e os relicários do Tesoro della Basílica.

 

Praça de San Marco

Espaço amplo que contrasta com as estreitas ruas da cidade, o que faz dela, uma das mais zonas mais movimentadas de Veneza. Subindo à Torre dell’Orologio, tem-se uma visão mais panorâmica da mesma. É nesta praça que, também, se localiza o Campanile (campanário) com os seus 99m de altura. Numa das extremidades, situa-se a Basílica de San Marco e o Palácio Ducale, outrora, residência oficial de duques, sede de governo e prisão. 

 

Palácio Ducal

O Palácio Ducale impressiona pelo tamanho e arquitetura, sobretudo, a Porta della Carta, um exemplo perfeito de gótico veneziano do século XIV, a Scala dei Giganti e a Scala d’Oro, bem como a Sala del Collegio. Outro ponto digno de destaque é que a Ponte dei Sospiri, a qual liga o palácio à antiga prisão que, segundo reza a lenda, os prisioneiros condenados a morte, ao passar pela mesma, suspiravam ao pensar que aquela seria a última vez que veriam a luz do dia. 

 

Grande Canal

 É a principal “via” da cidade, ligando a Praça de San Marco, aos pontos de chegada na cidade.  O Grande Canal já foi morada das mais elegantes casas e palácios de Veneza, que abrem as suas fachadas gótica veneziana e do início do Renascimento em direção à água. Percorrer este canal de Vaporetto é uma experiência obrigatória para se ter uma primeira impressão acerca da cidade.

O Grande Canal é atravessado apenas por 3 pontes: Ponte do Rialto, Ponte dell’Academia e Ponte della Constituzione.

 

Ponte Rialto

A Ponte Rialto é uma charmosa ponte que marca o local do primeiro assentamento da ilha, chamado Rivus Altus. Datado de 1588, este arco de pedra suporta duas ruas movimentadas e muitas lojas. Além de ser um ponto de travessia no meio do canal, é também um dos pontos favoritos para os turistas, nomeadamente, para tirarem fotos. Ali perto fica a Igreja de São Bartolomeu e o Mercado de Veneza.

 

Livraria Acqua Alta

Considerada uma das livrarias mais bonitas do mundo, foi idealizada por Luigi Frizzo.

Em Veneza, “acqua alta” é a expressão usada quando a água dos canais sobe e as casas são inundadas, por este motivo a livraria mantém os seus livros a uma altura considerável do chão.

O espaço é muito original. Os livros estão distribuídos em prateleiras em forma de gôndolas, canoas, barcos e banheiras.

 

Bairros de Veneza   

A experiência mais incrível em Veneza, e o que não se pode mesmo perder, é percorrer a própria Veneza, é perder-se por ruas e canais, sem pressas, a absorver a atmosfera veneziana ao longo dos diferentes bairros, onde cada um se apresenta com a sua própria identidade.

Cannaregio – O bairro dos artistas e o único que liga Veneza à terra firma pela Ponte della Libertà. É aqui que se encontram a grande maioria dos restaurantes e hotéis a preços mais acessíveis e onde se pode apreciar e desfrutar da Veneza dos venezianos, com seus carrinhos de compras, os gatos a passear pelas pequenas calles e as roupas estendidas ao longo das paredes.

Um passeio pelo bairro pode começar pelo antigo Gueto Hebraico, onde se pode saborear os doces judaicos certificados pelo rabino e conhecer um pouco da cultura no Museu Hebraico. A Igreja Santa Maria dell’Orto é outro ponto de passagem para apreciar as obras de Tiziano e Tintoretto, bem como o Campo dei Mori e as curiosas estátuas dos três irmãos Mastelli.

San Marco – O bairro mais famoso e importante de Veneza, onde se localiza a imponente Basílica e a Praça de San Marco.    

Castello – O nome deste bairro advém da pequena ilha de San Pietro di Castello que pertence a este bairro e que é na sua grande maioria ocupada por uma fortificação construída na Idade Média.

Santa Croce – Talvez o bairro “menos bonito” de Veneza, por não possuir tantos monumentos, e as suas ruelas estarem degradadas.

San Polo – O bairro mais pequeno de Veneza. Está ligado ao bairro de San Marco pela famosa Ponte do Rialto.

Dorsoduro – O bairro “mais alto” de Veneza. É o bairro dos museus: Gallerie dell’Accademia e o Museu Ca’Rezzonico, sem esquecer da Basílica Santa Maria della Salute, outro ponto emblemático da cidade.

 

Campo Santa Margherita

Os venezianos costumam tomar o famoso Spritz ou um cálice de vinho antes do almoço ou no final do dia. O Campo Santa Margherita é um dos espaços mais animados da cidade para o fazer.

Trata-se de um ambiente interessante e divertido. Uma experiência muito agradável sentar num dos bares da praça e ver o movimento enquanto bebe um Spritz e come algum “cicchetto”, os famosos aperitivos venezianos.

 

Murano e Burano

Uma viagem a Veneza fica mais completa com uma visita a Murano, a famosa cidade dos artesãos de vidro que se encontram distribuídos pelos vários estúdios que aqui existem. É nesta ilha que se localiza o Museu de Vidro, no Palácio Giustinian, do século XVII e a Basílica de Santa Maria e Donato, fundada na primeira metade do século X, que ao longo dos tempos passou por algumas intervenções que a transformaram e enriqueceram, nomeadamente, o pavimento em mosaicos, um dos mais antigos de Veneza, concluído no ano de 1141.

Durante a viagem para Murano, vale a pena visitar o Cemitério de Veneza na Ilha de San Michele. O cemitério foi construído no período em que Napoleão governou a cidade. Ele assinou um decreto que determinava que os venezianos fossem enterrados num cemitério fora da cidade e, assim, a Ilha de San Michele passou a abrigar o cemitério.

Outro local a não perder é Burano, uma vila de pescadores, na qual existe um museu, o Scuola dei Merletti, onde se expõe o melhor da ilha.

 

Para Fazer

Passeio de Gôndola

O passeio de gôndola, dizem, é daquelas experiências a não perder em Veneza. Na gôndola cabem até 6 pessoas e, pelo custo de 80€, tem-se uma perspetiva diferente da cidade. Nós não fizemos este passeio, optámos pela viagem de Vaporetto desde a estação de comboio até à praça de San Marco.

 

Como se Deslocar

Para visitar Veneza como deve ser, convém ter um mapa e andar a pé, contudo, também se pode utilizar o Vaporetto, barcos públicos que fazem a ligação entre os vários bairros de Veneza e às ilhas próximas, como Lido, Murano, Burano, Torcelo.

Existem diferentes tipos de passes a preços muito variáveis. Pode-se consultar as tarifas e comprar os bilhetes no seguinte site: Transportes públicos em Veneza ACTV

Os bilhetes ACTV dão acesso a todos as linhas dos Vaporettos ACTV, exceto às linhas 16, 19, 21, Casino e às linhas Alilaguna.

Bilhete: 7,00 € (1h) / 18 € (12 horas seguidas) /20 € (24 horas) / 25 € (36 horas) / 30 € (48 horas) / 35 € (72 horas) / 50 € (7 dias) – Funciona das 4h30 às 00h30.

 

Onde estacionar o Carro

O Piazzale Roma é o lugar mais próximo até onde se pode ir de carro. Outra alternativa é o grande estacionamento na ilha de Tronchetto, ou então, deixar o carro em Mestre, nos estacionamentos próximos à entrada da Ponte della Libertà, ou nos estacionamentos nos arredores da estação de comboio de Mestre e apanhar o comboio até Veneza que fica a cerca de 10 minutos, por 1,35€ por pessoa.

Foi o que fizemos. Deixámos o carro em Mestre, pagámos por 24 horas cerca de 24€ e, seguimos viagem.

 

Aqui ficam os estacionamentos de Tronchetto, de Piazzale Roma e Mestre:

  • ASM Venezia Piazzale Roma Garage (Loc. Piazzale Roma) tel. (+39) 041.2727301
  • Parking Sant’Andrea (Loc. Piazzale Roma) tel.(+39) 041.2727304
  • ASM Parking San Giuliano tel.(+39) 041.5322632
  • ASM Mestre Piazzale Candiani tel.(+39) 041.976844-985616
  • Venezia Tronchetto Parking (Isola del Tronchetto) tel.(+39) 041.5207555
  • Venezia Garage San Marco (Loc. Piazzale Roma) tel.(+39) 041.5232213
  • Fusina Park Terminal tel.(+39) 041.5470160
  • Tessera Park Marco Polo (Aeroporto di Marco Polo) tel.(+39) 041.5415913
  • Garage Europa (Mestre) tel.(+39) 041.959202

 

Para Comer

 Happy Pizza

Localizado numa das muitas ruelas estreitas da cidade, o pequeno espaço oferece pizzas e massas deliciosas feitas na hora, para comer no local ou para take away. O ideal é comparar e comer junto a um canal, enquanto se absorve a incrível atmosfera.

 

Para Dormir

AO Hotel Venezia Mestre 2

Hotel localizado em Mestre, próximo da estação de comboios, com cerca de 280 quartos com casa de banho privativa. Nós ficámos num quarto quádruplo, ideal para famílias. O espaço é simples, mas agradável. Três senãos: o hotel está sempre apinhado de gente, pois é muito grande e o preço é acessível, não disponibilizam toalhas para a casa de banho, e os hóspedes têm de fazer a sua própria cama.

Share this post

Sobre

Olá, somos a Carla, o Leonel, a Sofia, a Francisca, e adorámos partir à descoberta do mundo juntos!

Aqui, partilhámos os vários destinos que já visitamos, os hotéis onde ficamos hospedados e os restaurantes que experimentámos. Queremos inspirar quem nos visita, a viajar e a experimentar, pois consideramos que a vida é uma soma de experiências e uma constante procura. Nesta procura, buscamos locais, espaços, gastronomia, cultura, pessoas e, acima de tudo, a felicidade que é poder conhecer, valorizar e preservar o mundo maravilhoso que temos.

Artigos Recentes

Like Us on Facebook

Follow us on Instagram