Carla Ferreira

Carla Ferreira

Região Demarcada do Dão

#EuFicoEmPortugal, porque Portugal é um país único, de paisagens verdadeiramente incríveis, muito diversas, boa gastronomia, elevadíssimo património arquitetónico e cultural, e uma terra de gente muito hospitaleira.

Nesta imensa panóplia de lugares a conhecer, existe um que dá pelo nome de Região Demarcada no Dão. Localizada na zona centro do país e que abrange vários concelhos.

O Rio doou o seu nome à designação da região e ofereceu à terra as condições ideais para a produção de um dos melhores vinhos maduros portugueses. A magia da natureza permitiu aqui reunir uma série de condições únicas para a produção de vinhos com características próprias e bem definidas. 

Numa zona extremamente montanhosa, as Serras do caramulo, de Montemuro, do Buçaco e da Estrela protegem as vinhas dos ventos. Já a proximidade com os rios Dão, Mondego e Alva permite solos irrigados, gerando microclimas. A altitude, entre os 400 e os 700 metros, em planaltos de solos xistosos e graníticos, potencia vinhos encorpados com forte potencial de envelhecimento em garrafa.

 

A Região

A Região Demarcada do Dão, instituída em 1908, tem assim, perto de 16000ha de vinhas protegidas pelas serras e “escondidas” por pinhais, silvados giestas e muros de pedra, e divide-se em sete sub-regiões, que são:

– Alva (Oliveira do Hospital e Tábua)

– Besteiros (Mortágua, Santa Comba Dão e Tondela)

– Castendo (Penalva do Castelo e Sátão)

– Serra da Estrela (Gouveia e Seia), Silgueiros (Viseu)

– Terras de Azurara (Mangualde)

– Senhorim (Carregal do Sal e Nelas)

 

As Castas

Para além das condições de relevo, de clima, dos métodos de produção praticados e da grande sabedoria vitivinícola do seu povo, as características fabulosas destes vinhos estão profundamente relacionadas com o uso das castas mais apropriadas, dentro das recomendadas para a região. 

Embora não seja exclusiva do Dão, a Touriga Nacional deu fama aos vinhos da Beira Alta, continuando a ser a casta mais nobre entre as tintas.

Já o Alfrocheiro, exclusivo, especula-se sobre se poderá ser de origem estrangeira.

O Jean, cultivado, pelo menos, desde meados do século passado, pensa-se que tenha regressado à pátria trazido por peregrinos dos caminhos de Santiago.

E é o Encruzado que muitas pessoas associam ao Dão, dominando nos brancos e sendo a casta mais equilibrada da região.

 

Touriga Nacional

É, entre as tintas, a casta mais nobre, com o seu berço na Região do Dão. Dá vinhos de cor retinta intensa, com tonalidades violáceas quando novos. Os aromas são intensos, de elevada complexidade, a frutos pretos muito maduros, com algo de selvagem e silvestres. Na boca, os vinhos apresentam-se cheios, encorpados, persistentes, robustos, taninosos e muito frutados quando jovens. Possuem elevado potencial para envelhecimento prolongado, adquirindo nessa altura, uma elegância, um aroma e sabor aveludados inconfundíveis.

 

Alfrocheiro

Esta casta contribui para o excelente equilíbrio entre ácidos, açúcar, taninos e boa cor dos vinhos, ao mesmo tempo que lhes confere aromas frutados e finos, que lembram morangos bem maduros e que ganham complexidade com o passar dos anos.

 

Aragonez – Tinta Roriz

Casta que intensifica os aromas de fruta madura, confere muita cor e boas graduações alcoólicas. É notório o excelente equilíbrio marcado pela qualidade dos seus taninos, assim como o equilíbrio de corpo e acidez, daí resultando vinhos harmoniosos e muito elegantes, com elevado potencial de envelhecimento.

 

Jaen

Os vinhos a que dá origem são elegantes, com teor alcoólico regular, intensos de cor e muito macios, dada a qualidade e suavidade dos seus taninos. Mas é o seu perfume intenso e delicado, lembrando um pouco a framboesa, que torna esta casta preciosa.

 

Encruzado

Tem a primazia entre as castas brancas. Os vinhos são de cor citrina, com bom teor alcoólico e com uma grande delicadeza, elegância e complexidade aromática, com notas vegetais, florais e minerais. São finos e elegantes no sabor, denotando um notável equilíbrio álcool/ácidos. Possuem elevado potencial para o envelhecimento surpreendendo pela sua frescura e persistência na boca. É a casta mais equilibrada do Dão.

 

Malvasia Fina

Possibilita a obtenção de vinhos de cor citrina, com aromas intensos apesar de simples, com predominâncias florais, acidez equilibrada e um final elegante, ainda que de média persistência. Possui um bom potencial para o envelhecimento, com os seus vinhos a apresentar um “bouquet” extraordinário, passando a sua cor a amarelo palha, sendo de realçar a complexidade dos seus aromas associados a uma finura, equilíbrio e elegância. Misturado com outras castas do Dão imprime-lhe a “tipicidade” e a personalidade própria dos vinhos brancos da Região.

 

A Rota dos Vinhos do Dão

O Welcome Center da Rota dos Vinhos do Dão, localizado no Solar do Vinho do Dão, em Viseu, entidade que representa os interesses dos agentes económicos envolvidos na produção e comercialização dos vinhos e outros produtos vínicos que possuem a Denominação de Origem Controlada (DOC) Dão, tendo também funções de promoção, certificação e autenticação dos vinhos. Neste espaço funciona o acolhimento ao enoturista, proporcionando-lhe uma experiência completa, com possibilidade de:

– Visita ao Solar do Vinho do Dão (consiste apenas na visita à sala de exposições e às duas salas do Welcome Center – loja de vinhos e enoteca)

– Prova de vinhos (o Welcome Center possui um dispensador em que semanalmente estarão em prova vinhos de 8 produtores, totalizando 8 referências (vinho tinto, branco e rosé).Para as provas de vinho terá de ser adquirido um EnoCard, com o custo mínimo de 3€, podendo ser recarregado com o valor pretendido, posterior ao primeiro carregamento

– Todas as informações necessárias sobre os aderentes da Rota dos Vinhos do Dão e marcação de visitas e/ou provas de vinhos nos produtores.

Mais Informações >

A Rota dos Vinhos do Dão, possui assim, mais de quatro dezenas de produtores, que convidam à descoberta desta região e da elegância dos seus vinhos e que merece ser visitada sem pressas. Primeiro, porque as vinhas estão escondidas pelos pinheiros e pela vegetação, através de muros de pedra. Segundo, porque aqui a Natureza foi particularmente generosa e, portanto, há muito para contemplar. Depois, porque descobrir um tinto ou branco do Dão é encontrar o queijo Serra da Estrela, a maçã Bravo de Esmolfe, o cabrito, a doçaria e os enchidos. E por último, porque descobrir as quintas, as vinhas, as adegas é ouvir histórias e isso leva tempo, muito tempo! Contudo, e não podendo visitar tudo de uma vez só, escolhemos as Quintas que seguem.

 

Quinta do Medronheiro (Viseu)

A Quinta do Medronheiro está localizada em Soutulho, Viseu e, em tempos, foi uma antiga exploração agrícola e pecuária, mas que atualmente, para além das vinhas, conta com um moderno e agradável Hotel Rural, onde o melhor do mundo rural caminha lado a lado com o conforto dos dias de hoje.

Em 2006 a propriedade, foi então, adquirida pela família Oliveira transformando-a na Quinta do Medronheiro. São 37 hectares no total e que compreendem três valências: Quinta de vinhos, Hotel e salão para eventos com 250 lugares.

A vinha conta com 3 hectares de terreno, no qual se produzem as castas Touriga Nacional, Tinta Roriz e Jean, sob a supervisão do enólogo Hugo Chaves, no total de cerca de 20 000 litros/ ano, que depois seguem para as garrafeiras nacionais e venda online.

 

Quinta Chão de São Francisco (Viseu) 

Quinta localizada em Lourosa de Cima em Viseu, cujo projeto, de origem familiar foi iniciado em 1996, com o objetivo de produzir vinhos DOC de qualidade reconhecida. A sua história remonta ao séc. XVIII e no seu interior existe um solar beirão, antiga propriedade do Visconde de Treixedo e que contava essencialmente com exploração agrícola. A vinha com 8 hectares, foi totalmente renovada em 1996 com castas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen e, mais recentemente, Malvasia Fina e Encruzado.

A produção centra-se nos vinhos tintos e caracteriza-se por uma inimitável coloração rubi, corpo redondo e consistência aveludada na boca, onde se sentem notas delicadas de frutos vermelhos, ameixa e amora, destacando-se, desde logo, pelo delicado e intenso sabor, de grande requinte. A Sónia e o Zé, atuais proprietários, foram os simpáticos anfitriões que nos conduziram pela propriedade à descoberta de todo o processo vinícola.

 

Quinta Pedra Cancela (Viseu) 

Pedra Cancela é um projeto de origem familiar que congrega várias gerações dedicadas à vinha e ao vinho do Dão, fruto da paixão pelo vinho da família Gouveia. Na colheita de 2000 foi produzido o primeiro vinho Pedra Cancela, reforçando nos anos seguintes o seu estatuto como uma das marcas bandeiras da região.

Os vinhos Pedra Cancela têm origem em 75 hectares de vinha, dos quais 19 hectares com mais de 50 anos. Em 1999, decidiram reestruturaram as vinhas, adquiriram outras e edificaram uma adega moderna e com apurada tecnologia, tudo isto respeitando a cultura da região demarcada do Dão.

 

Lusovini (Nelas)

Adega da década de 50, adquirida e, 2012 pela Lusovini e transformada em 2017 em espaço de Enoturismo com loja de vinhos e de provas e restaurante Taberna da Adega em 2018, localizada em Nelas.

A Lusovini é uma marca que conta com cerca de 75 hectares de vinhas, apresentando-se no mercado como uma distribuidora de serviço integrado. Fundada e gerida por elementos com fortes ligações à viticultura, enologia, produção e distribuição de vinhos, oferece aos seus representantes toda essa experiência quer no desenvolvimento enológico dos seus produtos, quer no marketing e comercialização dos mesmos nos seus mercados de atuação. Todo este conhecimento e acompanhamento muito próximo da produção, são colocados ao serviço dos seus clientes através de uma equipa profissional que procura em cada caso sempre a melhor solução para cada necessidade específica. Atenta aos mais recentes desenvolvimentos no mercado mundial de vinhos, a Lusovini desenvolve alguns vinhos com responsabilidade em toda a fileira. Tratam-se de vinhos desenhados desde a vinha até à garrafa final para responderem às últimas tendências que surgem no mercado português e internacional.

 

Caminhos Cruzados (Nelas)

A Caminhos Cruzados, localizada em Nelas, nasceu pela iniciativa e vontade de Paulo Santos, natural daquela zona, que, determinado a regressar às suas origens para investir no mundo do vinho, decidiu transformar uma antiga empresa agrícola numa moderna empresa produtora e engarrafadora de vinhos. A filosofia da empresa baseia-se na produção de vinhos de qualidade, com uma vertente de tradição aliada ao modernismo e constante diferenciação que o mercado exige. Os seus vinhos são feitos a partir de uvas de produção própria e de produtores selecionados, reconhecidos pela sua qualidade e excelência de castas, todos na região do Dão. A Caminhos Cruzados resulta da união de ideias e projetos, e promete ajudar a voltar a pôr no mapa o nome de Nelas como terra de vinhos de eleição.

A Quintas e os vinhos do Dão são, resultam assim, numa simbiose perfeita entre tradição e modernidade, numa região onde o passado e o futuro se caminham de mãos dadas, para um objetivo comum que é a produção de vinhos de grande qualidade e tipicidade, fruto de uma relação singular das suas gentes.

 

A Gastronomia

O tema dos vinhos não fica ainda completo sem antes falar da maravilhosa Gastronomia Tradicional que os acompanham. Assim, e nesta imensa região, podemos regalar o palato com as iguarias que a seguir mencionámos, num dos muitos e excelentes restaurantes da região: 

  • chafana
  • Vitela assada com arroz de fornoCabrito assado
  • Rojões com morcela
  • Rancho à moda de Viseu
  • Entrecosto com grelos e chouriço caseiro
  • Arroz de feijão
  • Arroz de carqueja
  • Bacalhau à lagareiro
  • Trutas de escabeche
  • Bacalhau assado na brasa

  • Cabrito da Gralheira
  • Maçã da Beira Alta
  • Maçã de Bravo de Esmolfe
  • Queijo Serra da Estrela
  • Vitela de Lafões
  • Casunhas de ovos de Viseu
  • Doces de ovos de Viseu
  • Lampreia de ovos
  • Pão-de-ló
  • Leite creme
  • Arroz doce

 

Restaurante Bem Haja (Nelas)

A convite da Paula Pires, estivemos no Restaurante Bem Haja em Nelas para desfrutar de alguns pratos regionais. Delícias como filetes de polvo com migas, bacalhau com queijo da serra ou em crosta de broa, entrecosto com arroz de carqueja, costeleta com açorda de farinheira ou perdiz com café são imperdíveis.   

Boa comida, bons vinhos e um serviço muito eficiente são aquilo que de melhor tem para oferecer, num ambiente rústico, requintado e muito acolhedor, outrora um lagar em granito. Atualmente conta com duas salas com grande luminosidade, que proporcionam um ambiente muito agradável, fresco no verão e primavera com uma esplanada virada para as vinhas e aquecido por uma lareira no Inverno, sempre com música Jazz de fundo, um espaço fantástico que faz as delícias dos visitantes.  

Mais Informações >

 

Os Alojamentos

Não podemos terminar este artigo dedicado à Região do Dão, sem mencionar os encantadores espaços de turismo rural que tivemos oportunidade de conhecer.

 

Casa das Palmeiras – Nature Houses & Pedagogic Farm (Mangualde)

Casa das Palmeiras está localizada em Gandufe, Mangualde, em plena Região Demarcada do Dão, próximo da Serra da Estrela, da Ecopista do Dão e de Viseu, o alojamento é composto por 3 casas e uma suite.  

Trata-se de uma quinta que parece ter saído de um conto encantado, tantos são os recantos magníficos espalhados pela grande propriedade. Um espaço no qual, o contacto com a Natureza é permanente e a sensação de liberdade uma constante.

Aqui convivemos harmoniosamente com a Natureza. O lugar perfeito para miúdos e graúdos, onde até os animais são bem vindos.  

Mais Informações >

 

Quinta do Medronheiro (Viseu)

A Quinta do Medronheiro, localiza-se em Soutulho, próximo de Viseu. Trata-se de m turismo rural único e imperdível, um paraíso natural inesquecível, o campo e as vinhas na sua essência mais pura, com uma envolvente natural invejável, um jardim imenso.  

Aqui desfrutamos de uma estadia singular, com a tranquilidade do silêncio que se quer em meio rural, o conforto das instalações e os serviços/ atividades com os quais fomos presentados.

Falamos de uma antiga exploração agrícola e pecuária, adquirida em 2001 pela família Oliveira, cujas casas, algumas oriundas dos caseiros e funcionários da Quinta, outras abrigos de animais domésticos, foram transformadas num moderno e encantador hotel rural, inaugurado em 2010, inserido numa propriedade com 37 hectares, em plena Região Demarcada do Dão. 

Mais Informações >

 

I Love Dão – Casas da Fraga (Carregal do Sal)

I Love Dão – Casas de Fraga, constituem um deslumbrante alojamento de turismo rural, localizado na aldeia de Beijós, Carregal do Sal, ainda em pleno coração do Dão. 

O nome do espaço advém, da proximidade ao rio Dão e da fraga, designação dada às terras onde abundam rochedos e penedos. A enorme propriedade está assim, inserida numa região de grande beleza e silêncio, quebrado apenas pelo chilrear dos passarinhos e o som da água do ribeiro e da cascata com o seu moinho centenário movido a água, que ainda funciona diariamente. Mais do que um espaço bonito e acolhedor é toda uma sensação de bem estar e tranquilidade que proporciona.

Nesta conjugação fabulosa de fatores o resultado só poderia ser o de um alojamento maravilhoso, inserido num cenário encantador, composto por 6 lindas casinhas e mais, muito mais.

Mais Informações >

 

Hotel Pantanha Apartamentos (Nelas)

O hotel está localizado nas Caldas da Felgueira, em Nelas, também em plena Região Demarcada do Dão, bem próximo da Serra da Estrela e de Viseu. 

Com uma localização privilegiada, em harmonia com a Natureza e proximidade às termas, este espaço conjuga o conforto moderno ao charme do passado. Uma excelente base para partir à descoberta da Região do Dão, e das suas magníficas quintas de vinhas, da Serra da Estrela, e das suas fantásticas praias fluviais, de Viseu, da Ecopista do Dão, entre outros.

Aqui é possível desfrutar do espaço e das vistas, da gastronomia e realizar atividades no exterior. Um alojamento para tirar o máximo partido da localização e dar longos passeios, fazer caminhadas, visitar o rio, explorar a região e regressar ao apartamento, completamente equipado, e usufruir do seu espaço privado e independente.

Mais Informações >

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Sobre

Olá, o meu nome é Carla Ferreira. Vivo em Viseu com a minha família, o marido Leonel e as filhas Sofia e Francisca.

Somos apaixonados pelo mundo, pela Natureza, pelas pessoas, culturas e tradições. Somos inquietos, sempre com uma vontade enorme de explorar mais e mais, de estar constantemente à procura. Privilegiamos muito o conhecimento, a valorização, a preservação e a sustentabilidade do planeta Terra. 

Explorar o mundo e partilhá-lo com as pessoas são das coisas que mais gostamos de fazer.

Artigos Recentes

Like Me on Facebook

Follow me on Instagram