Carla Ferreira

Carla Ferreira

Uma viagem pela Suíça

 

#Continuandoàprocura  dos mais belos países da Europa, a Suíça reúne quase tudo o que de belo existe no mundo. Um pequeno país, muito diversificado e com paisagens arrebatadoras, situado no meio dos Alpes. Na Suíça há um pouco de tudo, desde cidades cosmopolitas, cultura, prados verdejantes, enormes montanhas, neve, ao que se junta o grande número de lagos, fazendo deste país, um cenário encantador, famoso pelos relógios, chocolates, prados verdes, etc.

O país fica situado na Europa Central, mais propriamente no Maciço dos Alpes, faz fronteira a Norte com a Alemanha, a Leste com a Áustria e com o Liechtenstein, a Sul com a Itália e a Oeste com a França. O território divide-se em três áreas paisagísticas: as Montanhas do Jura, composta por pradarias com pouca vegetação, o Planalto Central, uma zona de agricultura e de habitação e os Alpes, caracterizados por enormes montanhas e rochas recortadas, cobertas de neve.

O ponto mais alto da Suíça é o Monte Rosa a 4 634 metros de altitude, na região alpina central de S. Gotardo é onde correm os maiores lençóis de água da Europa e onde nascem os rios Reno e Ródano.

É um país bastante ligado à natureza e ao património natural, os suiços são verdadeiros ecologistas pois fazem reciclagem, não deitam lixo para o chão e preocupam-se imenso com a poluição sonora.

 

O clima da Suíça é alpino continental com grandes variações de temperatura, devido às diferenças de altitude. É um país que tem algumas zonas com micro-climas muito quentes, por causa dos imensos lagos. O Inverno é caracterizado por muitos nevões e com temperaturas entre os -2º C e os 7º C. No Verão, as temperaturas vão dos 18º C aos 28º C.

É constituída por 26 estados autónomos, designados por cantões e tem um sistema único no mundo de democracia direta, em que os cerca de 7,5 milhões de habitantes podem participar na vida política, através dos referendos a nível federal e cantonal. Por decisão popular a Suíça não aderiu à União Europeia, demarcando-se das políticas da mesma, mas aberta à livre circulação de bens e pessoas.

Oficialmente possui quatro línguas: o alemão, o francês, o italiano e o romanche, falados respetivamente, em 63.7%, 20.4%, 6.5% e 0.5% do território, influenciada pelos países vizinhos.

É um país recetor de grande volume de imigração, sobretudo portugueses, espanhóis, italianos, sérvios e albaneses e atualmente é uma das economias mais ricas do mundo, sede de inúmeros bancos privados e de organizações internacionais.

 

A moeda é o Franco Suíço (CHF) e as áreas económicas mais importantes são os materiais de precisão (motores, jactos e relógios), a indústria química, os serviços de seguros internacionais, os produtos lácteos (queijo e chocolate), o turismo e as especialidades gastronómicas a Raclette e Fondue.

A Suíça é ainda um país muito rico do ponto de vista de locais Património Mundial da Unesco.

Locais UNESCO Património Mundial na Suíça

  • Convento Beneditino de São João em Müstair
  • Convento de São Galo
  • Cidade Antiga de Berna
  • Três Castelos, Muralhas e Defesas do Burgo de Bellinzona
  • Jungfrau-Aletsch-Bietschhorn
  • Monte San Giorgio
  • Lavaux, vinhas em socalcos junto ao Lago Léman
  • Caminho-de-ferro Récio na Paisagem da Albula e da Bernina (sítio transfronteiriço com a Itália)
  • Alto Lugar Tectónico Suíço Sardona
  • La Chaux-de-Fonds/Le Locle, Urbanismo relojoeiro
  • Sítios palafíticos pré-históricos em redor dos Alpes (sítio internacional em 6 países)

Podemos dizer que é um dos países mais bonitos que já visitámos, cujas paisagens únicas dotadas de grande beleza, fazem deste país um destino de excelência. Nós viajámos para a Suíça na primavera, dizem que a melhor altura para o fazer, bem como no verão por causa das temperaturas amenas, embora ocorram algumas chuvas. No entanto, quando se gosta de neve e se quer praticar desportos de Inverno, o ideal será entre os meses de novembro e março.

Locais que Visitei na Suíça

Genebra

Genebra, conhecida como a “Cidade da Paz”, é uma cidade onde estão sediadas grandes instituições mundiais: Cruz Vermelha, Nações Unidas, UNICEF, OMS, entre outras. É uma cidade com muitos parques verdes. Entre outras atrações, existe a catedral de St. Pierre onde John Calvin deu o famoso Sermão.

O lago Léman é um dos maiores lagos da Europa, encontra-se no curso do rio Ródano na fronteira entre a França e a Suíça. As principais atrações em torno do lago, para além do próprio lago, são as elegantes cidades e vilas, a oportunidade de fazer esqui e caminhadas nas montanhas.

          

          

          

Zermatt

Um lindíssimo vilarejo localizado no coração dos Alpes suiços no qual não é permitido a circulação de veículos, à exceção de pequenos veículos eléctricos que fazem o transporte de passageiros e mercadorias, um lugar fantástico para caminhar livremente pelas maravilhosas ruas apinhadas de turistas e esquiadores.

          

É o ponto de partida para a subida às montanhas, sendo as principais o Matterhorn e o Gornergrat, através dos inúmeros teleféricos e comboio de cremalheira.

Matterhorn Glacier Paradise

O Matterhorn Glacier Paradise (Klein Matterhorn) é um dos pontos mais procurados e recomendados, por ser um dos pontos mais altos da Europa, 3883 metros de altitude, com vistas panorâmicas impressionantes dos Alpes suíços, franceses e Itália, estando localizado bem próximo da fronteira da Itália, coberto de neve durante todo o ano, inclusive no verão, ao qual apenas é possível chegar de teleférico, percurso este realizado em três etapas.  O ponto de partida para subir numa fantástica experiência até ao Matterhorn Glacier Paradise está localizado no centro de Zermatt, a cerca de 15 minutos da estação do comboio. Durante o inverno, e por causa da neve uma boa opção é ir de autocarro gratuito que passa junto ao rio que corre pelo centro de Zermatt.

O preço do bilhete para aceder ao Matterhorn varia de acordo com a estação de desembarque, sendo que o bilhete até à última estação a 3883 metros de altitude custa 87 CHF por adulto, desconto de 50% para crianças entre os 9 e 15 anos e para portadores do Swiss Travel Pass.

Não é necessário comprar os bilhetes com antecedência, basta ir direto à bilheteria e comprar o bilhete para o trajeto que se pretende.

A primeira estação é em Furi a 1867 metros de altura. A viagem neste primeiro teleférico é muito bonita, a vista sobre Zermatt, que fica situada no meio de gigantescas montanhas, é fabulosa.

Durante a subida já se começa, se as condições meteorológicas assim o permitirem, a avistar o Matterhorn – a montanha do famoso chocolate Toblerone.

Em Furi pode-se optar por subir de gôndola até a estação de Trockener Steg, de teleférico até Schwarzsee ou Riffelberg. Desta última estação não será possível continuar a subida até o Matterhorn Glacier Paradise.

Na estação de Schwarzsee, que fica a 2583 metros de altura existe um restaurante e uma estrutura de observação da montanha.

Na estação de Trockener a 2939 metros tem-se uma vista privilegiada para o majestoso Matterhorn. O lugar conta com um restaurante e uma área bem agradável para lanchar e apreciar a paisagem. A partir deste local o teleférico já sai em horários determinados.

O trajeto todo desde Zermatt até a última estação demora cerca de 60 minutos.

Para ver no Matterhorn Glacier Paradise

· Cinema Lounge (aqui é assiste-se a alguns filmes sobre diferentes temas como, montanhismo, fauna, flora e ski)

· Viewing Plataform (uma plataforma de observação no alto da montanha, a 3883 metros de altitude, a mais alta plataforma de visualização nos Alpes. O panorama de 360º oferece, em dias de céu limpo, a oportunidade de ver cerca de 40 montanhas acima de 4000 metros de altura e 14 glaciares alpinos)

· Restaurante e loja (um lugar quentinho, muito bom para descansar ou fazer uma refeição)

· Palácio de gelo (um espaço feito de gelo com muitas esculturas bonitas com custo adicional)

· Área de desporto (uma área para a prática de desportos na neve aberta o ano todo. A área de ski conta com 21 km de pistas e está muito bem equipado)
O Matterhorn Glacier Paradise é um passeio imperdível para quem visita Zermatt, sobretudo em dias de sol e com o céu aberto, apesar do frio que se faz sentir bem lá no alto, mesmo no verão.

Gornergrat

O Gornergrat localiza-se a 3089 metros de altitude, a leste de Zermatt com um panorama de montanha que está entre os melhores do mundo. As vistas são para o maciço do Monte Rosa com o pico mais alto da Suíça (Dufourspitze a  4634 metros), o segundo maior glaciar dos Alpes, o Glaciar Gorner e um total de 29 montanhas acima de 4000 metros, incluindo o Matterhorn em toda o seu esplendor.

O passeio de comboio de cremalheira até ao topo do Gornergrat é também um dos mais conhecidos e imperdíveis. Trata-se de um comboio de cremalheira em funcionamento desde 1898 que leva os turistas a 3089m de altitude em cerca de 33 minutos.

          

O percurso percorrido por esse comboio, que sai do lado oposto da estação de comboio de Zermatt é fabuloso, uma experiência maravilhosa por paisagens de neve, muita neve e muito frio, aquando da nossa visita.

          

Ao longo do percurso existem 4 paragens, nas quais se pode sair e explorar o local, para depois continuar o trajeto.

Ao chegar ao topo da Gornergrat, a vista panorâmica dos Alpes é impressionante, contudo, e como se fazia sentir temperaturas muito negativas e ventos consideráveis ao que se juntava o facto de estar a nevar, não nos foi possível permanecer muito tempo neste local.

O passeio tem um custo de 76 CHF por adulto  e 50% de desconto para portadores do Swiss Travel Pass e para crianças dos 6 aos 15 anos.

          

Para Ver no Gornergrat

  • Plataforma panorâmica
  • Kulmhotel 3100 Gornergrat (o hotel com maior altitude na Europa, a cerca de 3100m)
  • Loja de recordações
  • Restaurante
  • Observatório astronómico
  • Terraço ao ar livre para apreciar a vista da Matterhorn
  • Capela de Bernhard yon Aosta
  • Glaciar Gorner ( ao lado do Hotel 3100 está o grandioso glaciar Gorner, considerado o segundo maior nos Alpes. Infelizmente nos últimos 150 anos ele regrediu bastante)
  • Trilhos e o Matterhorn

Mais informações

Interlaken

Interlaken sempre foi conhecida como um relógio central por se situar no centro da Suíça e por ser um resort turístico, ponto de partida para explorar a região de Jungfrau, o topo da Europa – Top of Europe. As vistas sobre as montanhas do Eiger, Jungfrau e Monch, que a cidade oferece são arrebatadoras, bem como toda a envolvência dos dois lagos, o Lago Brienz de cor esmeralda e o lago Thun com uma bonita cor azulada, conferindo à cidade um cenário impressionante numa combinação perfeita de lago com montanha.

Além das montanhas em redor de Interlaken, existem inúmeros vilarejos lindíssimos para se conhecer a partir da cidade, tudo servido por um excelente sistema de transporte público, uma base perfeita para se explorar toda esta região.

A cidade de Interlaken é pequena, podendo ser facilmente explorada a pé ou utilizando o excelente sistema de transporte público.

Junto ao rio Aare é muito bonito, com lindas vistas das montanhas, principalmente em dias de sol.

A avenida Höhewegg liga as duas estações de comboio de Interlaken (Ost e West) e concentra muitas lojas, restaurantes e hotéis.

Aproveite para conhecer o Casino Kursall, que foi construído em 1859. O lugar conta com um bonito jardim, uma fonte e um relógio de flores.

O Höhematte Park é um amplo parque cheio de flores e bem cuidado que oferece uma bonita vista para as montanhas, sendo possível até mesmo avistar o Jungfrau.

Existem também muitas atividades para fazer em Interlaken e arredores: bungee jump, paraquedas, parapente e muito mais.

Para quem chega de comboio, uma boa sugestão é escolher um hotel que fique perto de uma das duas estações de comboio de Interlaken,  Interlaken Ost e Interlaken West

Nós escolhemos o Interlaken Youth Hostel, um hostel fantástico localizado mesmo ao lado da estação de Interlaken Ost e junto ao rio, cujo quarto quádruplo com casa de banho partilhada nos custou 153€. O hostel é muito bom, é novo, os quartos são de madeira, com enormes janelas viradas para o parque ou para o rio, dispõe de restaurante e wi-fi gratuito. O pequeno almoço está incluído e é muito agradável.

Quem fica hospedado em algum hotel de Interlaken tem direito ao Guest Card, para utilizar gratuitamente o transporte público dentro da região central de Interlaken, além de descontos em atrações e atividades.

          

Grindelwald

Grindelwald, que fica a 1.035m de altitude, é um lugar muito especial com uma majestosa montanha, que serve de pano de fundo para esta pequena vila com lindos chalés e ruas estreitas.

          

Grindelwald está localizada na região de Jungfrau, perto de Interlaken, aos pés da montanha Eiger, sendo fácil lá chegar de comboio embarcando na estação Interlaken Ost numa viagem que tem a duração de 34 minutos.

          

É o ponto de partida do teleférico para a montanha Grindewald First a 2168 metros de altitude e que possui muitas atrações e inúmeras actividades. O trajeto completo tem a duração de 25 minutos e custa 60 CHF e 50% de desconto para crianças dos 6 aos 15 anos e para detentores do Swiss Travel pass. Infelizmente, como havia muita neve e o tempo estava mau, fomos até Bort que fica a meio do trajeto, num percurso de cerca de 20 minutos e com um custo de 16 CHF adulto e 50% de desconto para os portadores do Swiss Travel Pass e para as crianças dos 6 aos 15 anos.

          

Grindelwald é também ponto de partida para aceder ao último comboio para Jungfrau.

Lauterbrunnen

Lauterbrunnen é um daqueles lugares que parecem ter saído de um conto de fadas, um vilarejo que inspirou J. R. R. Tolkien a criar a Valfenda (Rivendel, em inglês), o reduto élfico escondido num vale, o lugar mais bonito de toda a fictícia Terra-Média, que visitou em 1911, quando tinha 19 anos de idade.

Lauterbrunnen tem aquilo que esperamos da Suíça, montanhas, vales, vaquinhas e cachoeiras. Ao passear pela rua principal deparámo-nos com paisagens verdadeiramente sensacionais, de encher a alma.

          

Está localizada na região de Jungfrau, perto de Interlaken, sendo muito fácil lá chegar de comboio, embarcando na estação Interlaken Ost numa viagem que tem a duração de 25 minutos.

Lauterbrunnen é também ponto de partida para aceder ao último comboio para Jungfrau.

          

St. Moritz

St. Moritz é uma estância alpina de luxo no vale Engadina, localizada no cantão dos Grisões, a 1822 metros de altitude, uma das cidades mais caras do mundo, dizem. Recebeu os Jogos Olímpicos de Inverno por duas vezes e tem a Cresta Run, um percurso de trenó em gelo natural utilizado no campeonato mundial, e uma pista de gelo olímpica exterior. O lago gelado recebe competições de pólo, críquete e até corridas de cavalos no gelo. As áreas de esqui e de snowboard incluem Corviglia, Diavolezza e Corvatsch, e existem trilhos de esqui todo-o-terreno bem tratados.

          

St. Moritz foi o berço do turismo de inverno alpino e originalmente deve a sua importância às suas fontes de águas medicinais, já conhecidas há 3000 anos e que cedo estabeleceram o local como estância termal para férias de verão.
Em St. Moritz o sol brilha na maioria dos dias mais do que em outros locais na Suíça.  Foi exatamente este sol que foi protegido por lei em 1930 como primeiro símbolo local. St. Moritz foi pioneira por várias oportunidades no passado, no Natal de 1878 acendeu a primeira lâmpada elétrica, em 1889 realizou-se o primeiro torneio de golfe nos alpes e em 1935 começou a circular um dos primeiros teleféricos da Suíça.
Os turistas apreciam sobretudo o estilo de vida alpino moderno, conhecido por uma gastronomia de primeira classe, a qual torna realidade os sonhos dos amantes de cozinha gourmet, uma hotelaria com altos padrões e pelos eventos com projeção internacional. Via Serlas garante uma grande oferta em termos de comércio numa pequena superfície. Praticamente em qualquer esquina poderá encontrar especialidades locais como a famosa torta de noz de Engadina.
As atrações turísticas como a torre inclinada, as ruínas da igreja Maurícia, cujas origens remontam a 1500 ou o museu Segantini são complementos nesta fantástica  cidade.

          

Para além dos desportos tradicionais, como caminhadas e BTT, é possível desfrutar também de desportos como vela, remo, windsurf, kitesurf, ténis, minigolfe ou equitação. Em Alta Engadina, os praticantes de escalada nos alpes podem também contar com 17 locais de escalada com diferentes graus de dificuldade. A pista de gelo artificial de Ludain abre as suas portas também no verão para os praticantes de patinagem no gelo e os golfistas podem encontrar na proximidade um paraíso com 4 campos de golfe nos alpes. Um passeio romântico de charrete nas margens do lago, pela floresta Staz ou por toda St. Moritz, são alguns dos destaques de uma estadia em St. Moritz, que no fim do século XIX, passou a receber ricos e famosos de todo o mundo, que aqui construiram suas mansões, além dos hotéis de luxo, cenários de muitos e muitos filmes famosos.

          

Em St. Moritz escolhemos o St. Moritz Youth Hostel para passarmos a noite, uma agradável surpresa, pois para além do hostel ser muito bom e acolhedor, ainda lá trabalham imensos imigrantes portugueses, o que facilita bastante a comunicação para além da enorme hospitalidade com que nos receberam. Ficamos num magnífico quarto quádruplo com casa de banho privativa pelo preço de 227 € com jantar incluído.

As áreas do hotel são muito confortáveis bem como os quartos, o pequeno almoço é fantástico e muito completo para um hostel. Apesar de ficar um pouco retirado da estação de comboio e até mesmo do centro, existe um autocarro que faz transferes regulares.

          

Locais por Onde Passei na Suíça

Lausanne

É a segunda maior cidade do Lago de Genebra, e é também a sede do Comité Olímpico Internacional. Em termos culturais, possui uma grandiosa catedral e fantásticos mercados ao ar livre.

Montreux

Montreux fica na beira do lago Léman, perto de Lausanne e de Gruyères, uma cidade onde se produz o famoso queijo gruyères. Tudo na Suíça é realmente muito bonito, no entanto, Montreux eleva ainda mais essa fasquia pelo lago com os Alpes ao fundo, a Arquitetura Medieval, o Castelo da Nobreza e  o Freddie Mercury para fechar com chave de ouro.

Um local de paragem obrigatória é o Château de Chillon, mesmo junto ao lago, um Château suíço, cuja visita custa 8€, que está assente numa ilha rochosa junto à margem, data de 1005 ou 1160 e partir de meados do século XII foi habitado pelos Condes de Sabóia.

Lord Byron, o poeta Britânico considerado uma das mais importantes figuras da época do Romantismo, notabilizou o Château no poema O prisioneiro de Chillon, François de Bonivard, um monge e político genovês aprisionado no castelo entre 1530 e 1536.

Sion

Sion é a capital do cantão de Valais, um cantão bilingue francês e alemão. A cidade atual foi construída no meio de um vale formado por duas colinas bem próximas, onde foram construídos os Château de Tourbillon e o Château de Valère, dois castelos abertos a visitas e gratuitos.

O Château de Tourbillon foi construído no século século XIII, pelo bispo Boniface de Challant, hoje é um museu de ruínas a céu aberto. Dentro dele fica a Chapelle de Saint Georges.

O Château de Valère, atual basílica menor consagrada por João Paulo II em 1984. O castelo foi construído entre os séculos XII e XIII e era habitado por cónegos até a Revolução Francesa.

Na cidade vale a pena o Musée d’Art de Sion e o Musée de la nature.

Berna

Berna é a capital da Suíça, uma cidade medieval, cujo símbolo é o urso, conta com uma história que remonta o século XII, apesar de só se tornado parte da Confederação Suíça no século XVI. A atração mais famosa é o Zytglogge, uma antiga torre de relógio com bonecos animados. Outros locais igualmente atrativos são o Munster – uma catedral gótica na cidade velha e a câmara municipal. A cidade velha possui 4 Km de arcadas, uma das maiores áreas cobertas da Europa, para fazer compras.

Zurique

Cidade muito bonita, muito organizada e muito ligada à cultura, possui mais de 40 museus e mais de 100 galerias de arte. É a maior cidade Suíça, ideal para compras, passeios de barco no Lago de Zurique ou fazer caminhadas nas montanhas mais próximas. Um ponto obrigatório de paragem é no Museu Nacional Suíço, dedicado à História cultural do país, localizado num castelo.

A vista do rio Limmat com barcos e da catedral é lindíssima.

 

Locais a Visitar na Suíça

Região do Jungfrau

A região do Jungfrau é um dos locais mais bonitos para visitar na Suíça, com 4158m de altitude, faz parte da Área de Proteção Jungfrau-Aletsch, Património Mundial desde 2001, é conhecida como o Topo da Europa – Top of Europe.

É constituída por quatro localidades lindíssimas: Grindelwald, Murren, Lauterbrunnen e Wengen, e três montanhas impressionantes: Eiger, Monch e Jungfrau.

A subida ao chamado “Topo da Europa”, a montanha Jungfraujoch é um dos passeios mais famosos da Suíça, pois trata-se do ponto mais alto da Europa aonde só é possível chegar de comboio, numa viagem fantástica montanha acima.

A viagem até o Top of Europa começa na estação de trem Interlaken Ost. A primeira escolha é se se pretende subir por Grindelwald ou Lauterbrunnen. O trajeto é circular, pode subir-se por um trajeto e descer por outro.

Recomendamos a subida por Lauterbrunnen, um lindo vilarejo com uma enoreme cascata de água a cair praticamente por detrás das casinhas de madeira, um lugar indescritível.

Muda-se de comboio na estação de Kleine Scheidegg e quase a chegar ao topo entra-se no túnel que atravessa o Eiger. Em Eigerwand há uma janela com cerca de oito metros de comprimento que permite ter uma vista panorâmica da montanha. Pode-se sair do comboio e tirar algumas fotos durante cinco minutos.

Existe uma segunda paragem em Eismeer, “Mar de gelo”. Este túnel tem cerca de 7km, com pendentes até 25%, muito inclinado portanto. A viagem desde Scheidegg até Jungfraujoch leva cerca de 50 minutos, a descida demora apenas 35 minutos.

Trata-se de um passeio fabuloso, que não se resume simplesmente a chegar até ao “Top of Europe”, uma vez que todo o percurso é bastante interessante, com paisagens incríveis, repletas de clichés, vacas com sininhos no pescoço, cidades que parecem ter saído de um conto de fadas, chalés de madeira nas montanhas e picos cobertos de neve.

Aceder às montanhas não é propriamente barato, apesar de valer o dinheiro que se investe. O bilhete tem um custo de cerca de 204 CHF por adulto desde Interlaken e 50% para crianças entre os 6 e 15 anos e para os portadores do Swiss Travel Pass (para estes o trajeto até Grindelwald ou Lauterbrunnen é gratuito). Para economizar um pouco o custo existe o chamado “bilhete de bom-dia” (Good-Morning ticket), €15 mais barato e apenas válido para quem viajar no primeiro comboio da manhã que sai às 6h 35 de Interlaken e deixar o topo da montanha às 12h.

Para ver em Jungfraujoch

  • Palácio do gelo
  • Terraço do Observatório científico Sphinx
  • Planalto com percursos
  • Restaurante “Top of Europe”, com vista panorâmica para o glaciar
  • Parque de ski e snowboard, passeios de trenós puxados por huskies, corda tirolesa, etc (estas últimas atividades estão disponíveis apenas no verão)
  • Lojas e a Lindt Swiss Chocolate Heaven

Wengen

Wengen, a 1300 metros de altitude, é um vilarejo construído à beira de um precipício e rodeado por montanhas gigantescas, um vilarejo que parece ter saído de um filme, com casinhas de madeiras, árvores, vacas, montanhas e muito verde.

Não há estrada até Wengen e também não são permitidos veículos motorizados. O acesso é feito através de comboio desde Interlaken Ost para Lauterbrunnen e daqui, apanha-se um outro comboio até Wengen, sendo que a viagem dura cerca de 15 minutos.

Mürren

O vilarejo de Mürren fica perto de Lauterbrunnen e de Interlaken, no caminho para a montanha Schilthorn, a 1650 metros de altitude.

O lugar é muito bonito, cheio de pousadas, restaurantes, cafés e chalés de madeira. Oferece uma boa vista para as montanhas Eiger, Mönch e Jungfrau.

Para chegar até Mürren apenas é possível de comboio e teleférico. O primeiro passo é chegar até Lauterbrunnen e depois embarcar no teleférico.

Kleine Scheidegg

O vilarejo de Kleine Scheidegg está localizado a 2061 metros de altitude e fica no caminho para a montanha Jungfrau, sendo o local onde se embarca no último comboio rumo ao “Top of Europe”.

O lugar é muito procurado para a prática de desportos de inverno, contando com uma excelente estação de esqui e ponto de partida para muitos trilhos pedestres.

Schilthorn – A montanha do filme 007

A Schilthorn serviu cenário para um filme de James Bond em 1968 “007 a serviço de Sua Majestade” e actualmente a montanha ainda carrega a fama do personagem.

O ponto de embarque do teleférico para a montanha Schilthorn está em Lauterbrunnen.

A montanha está dividida em três partes, cada uma com uma série de atrações: “3 Chill”, “2 Thrill” e “1 View”.

A primeira parada “3 Chill” fica perto de Mürren, a 1638 metros de altitude. Aqui existem muitas opções de trilhos, com diferente níveis de dificuldade.

A segunda parte da montanha “2 Thrill” está a 2677 metros de altitude. Aqui já se está perto do topo da montanha, com direito a paisagens incríveis. O Skyline walk oferece lindas vistas para as montanhas, com direito a um pedaço de chão de vidro.

Em 2016 foi inaugurada a Thrill Walk, uma plataforma de caminhos na beira do penhasco, oferecendo vistas impressionantes para as montanhas.

A última parte da montanha “1 View” fica a uma altitude de 2971 metros. A Skyline View oferece uma vista perfeita e incrível dos alpes suíços. A plataforma permite caminhar em torno da montanha e ver tudo ao redor. O lugar é todo decorado com baseado no filme do 007.

Nesta última parte, há uma exposição sobre o James Bond “Bond World”, loja de presentes, a calçada da fama do 007, o mirante Piz Gloria, o restaurante giratório Piz Gloria, entre outras atrações.

Kandersteg

Pequena vila localizada no Vale do Rio Kander, ideal para caminhadas e percursos de montanha com paisagens circundantes maravilhosas, muito ligadas à Natureza.

Lago Oeschinen

Lago de águas cristalinas e de cor forte, fica localizado perto de Kandersteg, rodeado pela Montanha Doldenhorn com 3643 metros, pela Montanha de Bluemlisalp com 3663 metros, pela Montanha Fründenhorn com 3369 metros e pela Montanha Oeschinenhorn com 3486, um local fantástico para caminhadas no seio da Natureza e da montanha.

Lucerna

Cidade que possui um pouco de tudo, desde a vida citadina, um lago e montanhas. É considerada uma das mais bonitas cidades do mundo e conhecida pela Ponte da Capela e pela Torre da Água, que diz-se ser o monumento mais fotografado da Suíça. O Leão a morrer é outro dos monumentos famosos, foi feito fora da rocha em honra dos mercenários suíços que morreram em França em 1792. A nível gastronómico há para saborear o “Luzerner Chügelipastete”, uma massa de pão com vitela e cogumelos regado com molho de creme.

São Galo

Uma das cidades mais altas da Suiça, fica localizada entre as Montanhas Appenzell e o Lago de Constança, a 700m de altitude. As principais atrações são a  Abadia de São Galo que, na Idade Média, foi uma das mais importantes abadias Beneditinas da Europa.

Lugano

Esta cidade, conhecida como “Monte Carlo da Suiça, está localizada no Lago Lugano, numa zona onde se fala italiano e é abençoada com verões quentes. Lugano tem um grande número de locais de herança suíços, três catedrais, duas bibliotecas e vários museus. Posuiu também várias instituições financeiras e é palco de um festival anual de músicas clássica, o Festival do Lugano, que se realiza no Verão.

Monte Titlis – Engelberg

O Monte Titlis fica localizado na região de Lucerna, na cidade de Engelberg e para lá chegar basta apanhar um comboio até Engelberg. A estação da cidade fica bem próxima da entrada da montanha. Aqui poderá comprar os bilhetes para subir e também pode alugar roupas e material de ski (somente de outubro a abril).

Para Ver no Monte Titlis
Parada Gerschnialp (1262 metros)
– Pista para descer de trenó (Schlittelbahn), são 3500 metros de comprimento de pista a uma altitude de 250 metros
– Pista de Ski
– Pista para caminhada (funciona no inverno e no verão)

Parada Trübsee (1800 metros)
–  Snowtube, uma pista para descer com boia de borracha (Aberto de dezembro a abril)
– Moto para andar na neve
– Vila de Iglus, Iglu Dorf – é um hotel em forma de Iglu

Parada Stand (2428 metros)
– Pista de ski
– Restaurante com uma vista linda
– Titlis Rotair, um teleférico que gira 360 graus

Parada Klein Titlis – Topo do Monte Titlis (3018 metros)
– Gruta de gelo (Gletschergrotte), uma gruta com 150 metros de corredores que te levam para 20 metros abaixo da superfície da geleira. A temperatura dentro da gruta é de  -1.5°C, com entrada é gratuita

– Titlis Cliff Walk, a ponte suspensa mais alta da Europa. Tem 1 metro de largura e 100 metros de comprimento
– Ice Flyer, um teleférico que passa a 10 metros das geleiras que vai ao Parque Glacial (Rutschpark am Gleitscher), com um custo de 12 CHF

– Parque Glacial (Rutschpark am Gleitscher, o Snowtube, pista para descer com bóia de borracha funciona de maio a julho. Os minibobs que são tipo uns assentos de plástico e que usamos para deslizar na neve funcionam de maio a setembro. A entrada no Parque Glacial é gratuita.
– Pista de Ski
– Pista para caminhada (funciona no inverno e no verão)
– Restaurante Panorâmico

– Loja de chocolates com algumas marcas de chocolates suíços como Lindt e Munz
– Estudio de fotografia
– Relojoaria, uma loja especializada com renomadas marcas suíças

O preço do bilhete para subir até o topo é de 92 CHF e 50% de desconto para quem tem o Swiss Pass.

Dicas

Escolhemos a Easyjet entre o Porto e Genebra. O voo ida e volta teve um custo de 70€ por pessoa.
Quando chegar ao local de recolher as bagagens no aeroporto de Genebra, é possível recolher um bilhete de comboio grátis para o centro da cidade. Se não o fizer, o bilhete de viagem pode ser comprado nas máquinas na estação por cerca de 3 CHF.
Comprámos o Switzerland Travel Pass de 3 dias no site online por 225 CHF por adulto, o Family Card, que oferece uma criança até 16 anos. O Swiss Travel Pass permite viajar livremente pela Suíça nos transportes públicos e bilhete gratuito para o fazer o Glacier Express, sendo apenas necessário reservar o assento pelo preço de 30€ por pessoa. O pass oferece ainda inúmeros descontos em museus e 50% de desconto nos transportes de acesso às montanhas (comboios e teleféricos). O passe também é válido na linha de comboio entre Martigny e Chamonix, entre Vallorcine e Chamonix a linha é operada pela França.
O Swiss Travel Pass é bastannte compensatório quando se viaja muito na Suíça (pelo menos 6 percursos de comboio), portanto, no nosso caso valeu mesmo a pena e ainda nos permitiu fazer o tão esperado passeio Glacier Express.

Pode ser vendido na modalidade Swiss Travel Pass (3, 4, 8 ou 15 dias consecutivos), Swiss Travel Pass Flexi Pass  (3, 4, 8 ou 15 dias não consecutivos dentro de 1 mês), Swiss Transfer Pass (para ir e voltar de um aeroporto ou estação até a cidade que você quer) e Swiss Card (que é Transfer pass + passagens normais pela metade do preço).

Este Pass é muito útil e prático, permitiu-nos poupar imenso dinheiro quer nos transportes quer nas diversas atrações.

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Sobre

Olá, o meu nome é Carla Ferreira. Vivo em Viseu com a minha família, o marido Leonel e as filhas Sofia e Francisca.

Somos apaixonados pelo mundo, pela Natureza, pelas pessoas, culturas e tradições. Somos inquietos, sempre com uma vontade enorme de explorar mais e mais, de estar constantemente à procura. Privilegiamos muito o conhecimento, a valorização, a preservação e a sustentabilidade do planeta Terra. 

Explorar o mundo e partilhá-lo com as pessoas são das coisas que mais gostamos de fazer.

Artigos Recentes

Like Me on Facebook

Follow me on Instagram