Carla Ferreira

Carla Ferreira

Vilarinho de Negrões – Montalegre

#Continuandoàprocura de lugares verdadeiramente encantadores, em setembro de 2019, estivemos numa que é uma das aldeias mais bonitas de Portugal. Chama-se Vilarinho de Negrões e fica na deslumbrante Albufeira do Rabagão, em Montalegre.

A paisagem do Barroso é a anfitriã deste cenário, digno de um conto de fadas. Quando vamos para o interior Norte do país, corremos o risco de presenciar paisagens fantásticas. Aqui não é exceção, Vilarinho é um daqueles sítios que nos deixa sem adjetivos.

Escusado será dizer que ficamos maravilhados com a simbiose perfeita entre a aldeia e a albufeira que a rodeia, principalmente quando a barragem está a topo e a água parece entrar por algumas casas adentro, e na realidade pouco falta para tal.

Um destino fascinante, considerada uma das aldeias mais pitorescas de toda a região, pela preservação de suas casas, mas principalmente por se encontrar sobre uma estreita e bela península. Além da sua beleza natural, que é gigantesca, possui muito património para conhecer, assim como restaurantes com iguarias típicas regionais.

A somar à tranquilidade dos planaltos transmontanos, pincelados aqui e ali por pequenas aldeias, à simpatia e autenticidade das suas gentes e à excelente gastronomia da região, tivemos o prazer de mergulhar na autenticidade e simplicidade do modo daqueles que ainda por ali habitam.

 

Ao chegarmos à aldeia, fomos de imediato para junto da água, contemplar o esplendoroso espelho de água que a inunda. Demos um breve passeio junto à margem, sentimos a brisa, mas sentimos, sobretudo, a atmosfera tranquila daquele pequeno paraíso, Como é bom ser-se invadido por sensações assim, sensações que nos puxam para ali ficarmos. Mas, como na maior parte das vezes, o tempo urge, somos levados a abandonar os espaços que nos fazem sonhar, não sem antes explorarmos o centro da aldeia.

     

É no seu interior que encontrámos pelo menos duas casas mais nobres, alguns canastros, uma pequena capela, alminhas, tanques, fontes, e o típico casario tradicional de granito. Algumas ainda mantêm os beirais elevados, que antigamente serviam para acondicionar e proteger as coberturas de colmo.

A aldeia não é grande e sofre dos mesmos males da maioria das aldeias transmontanas, o despovoamento e o envelhecimento da população. Fomos encontrando, aqui e ali, algumas pessoas idosas, que carinhosamente nos cumprimentaram, absorvendo a integridade da aldeia, que mantém as construções típicas e tradicionais do Barroso, com uma ou duas construções, pelo maio, de traça mais contemporânea.

     

Esta bela península fica junto da freguesia de Negrões, a qual possui um forno em granito que vale a pena ficar a conhecer, assim como aos canastros esguios, onde o milho e o centeio se conservam, e aos castros de Negrões, Vilarinho e Lamachã.

Não tivemos oportunidade de ver, mas, dizem os entendidos, que pela manhã é muito interessante ver os mergulhões de crista e outras aves aquáticas aproveitam o inverno mais ameno desta geografia e a usufruirem da tranquilidade matinal. Quando o bulício começa, é ver estas espécies deslocarem-se para uma pequena ilhota deserta formada por um enorme penedo.

Pelo que lemos, uma personalidade conhecida e popular desta terra é Domingos Pereira, o padre guerrilheiro, filiado no Partido Progressista e amigo de Paiva Couceiro, que conspirou contra a República. Além disso, participou na “Monarquia do Norte”, envolvendo-se nos combates de Cabeceiras, Mirandela e Vila Real.

Despedimo-nos, já com saudades, de Vilarinho, e continuamos a estrada que ladeia a albufeira em direção à barragem, não sem antes, parar novamente, para de longe ainda contemplar, mais uma vez, aquele pedacinho de terra encantador.

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Sobre

Olá, o meu nome é Carla Ferreira. Vivo em Viseu com a minha família, o marido Leonel e as filhas Sofia e Francisca.

Somos apaixonados pelo mundo, pela Natureza, pelas pessoas, culturas e tradições. Somos inquietos, sempre com uma vontade enorme de explorar mais e mais, de estar constantemente à procura. Privilegiamos muito o conhecimento, a valorização, a preservação e a sustentabilidade do planeta Terra. 

Explorar o mundo e partilhá-lo com as pessoas são das coisas que mais gostamos de fazer.

Artigos Recentes

Like Me on Facebook

Follow me on Instagram